Pular para o conteúdo principal

Entrelaçamento quântico é fotografado pela primeira vez


A exemplo da primeira foto de um buraco negro, a coisa não parece tão deslumbrante: Mas esta é a base de toda a computação quântica.
[Imagem: Moreau et al. - 10.1126/sciadv.aaw2563]

Foto do entrelaçamento quântico

Pela primeira vez, os físicos conseguiram tirar uma foto de uma forma particularmente forte de entrelaçamento quântico - chamada de entrelaçamento de Bell -, capturando as primeiras evidências visuais de um fenômeno que Albert Einstein tentou desprezar chamando-o de "ação fantasmagórica à distância".

Duas partículas que interagem uma com a outra - como dois fótons passando por um divisor de feixe, por exemplo - podem criar uma conexão íntima, compartilhando instantaneamente seus estados físicos, não importando quão grande seja a distância que as separe daí por diante - mexa com um e você instantaneamente afetará o outro.

Essa conexão é conhecida como entrelaçamento quântico - ou emaranhamento quântico - e, apesar de não ter agradado Einstein, é um dos pilares do campo da mecânica quântica. É ele, por exemplo, que permite que dois qubits troquem dados sem uma conexão física direta.

Einstein achava que a mecânica quântica era "fantasmagórica" por causa da instantaneidade da interação remota entre duas partículas emaranhadas, o que parecia incompatível com elementos de sua teoria especial da relatividade - essa interação à distância hoje é conhecida como não-localidade e os físicos falam de influências escondidas além do espaço-tempo.

Mais tarde, John Bell (1928-1990) formalizou esse conceito de interação não-local descrevendo uma forma de entrelaçamento. Até hoje, contudo, embora o entrelaçamento de Bell esteja sendo aproveitado em aplicações práticas na computação e na criptografia quânticas, ele nunca havia sido capturado em uma única imagem.

É o que acabam de fazer Paul Antoine Moreau e seus colegas da Universidade de Glasgow, na Escócia.


Os dois fótons são separados em um divisor de feixe. A câmera baseada em um SPAD captura imagens fantasmas de um objeto de fase colocado no caminho do primeiro fóton e filtrado de forma não-local por quatro filtros espaciais diferentes que podem ser apresentados em um modulador espacial de luz (SLM 2 ), colocado no outro braço. Ao ser acionada pelo SPAD, a câmera captura imagens coincidentes que podem ser usadas para realizar um teste de Bell.
[Imagem: Moreau et al. - 10.1126/sciadv.aaw2563]

Fotografando um efeito fantasmagórico

O experimento consiste em um aparato que dispara um fluxo de fótons entrelaçados a partir de uma fonte quântica de luz sobre "objetos não convencionais", cristais líquidos que alteram a fase dos fótons que passam por eles - a fonte quântica de luz é conhecida como SPAD, sigla em inglês para diodo de efeito avalanche de fóton único.

Uma câmera super-sensível, capaz de detectar fótons individuais, captura uma imagem apenas quando tanto um fóton quanto seu gêmeo entrelaçado atingem seu sensor, criando um registro visível do entrelaçamento dos dois fótons.

"A imagem que conseguimos capturar é uma demonstração elegante de uma propriedade fundamental da natureza, vista pela primeira vez na forma de uma imagem. É um resultado empolgante que poderá ser usado para avanços no campo emergente da computação quântica e levar a novos tipos de imagem," disse o professor Moreau.

Bibliografia:

Artigo: Imaging Bell-type nonlocal behavior
Autores: Paul-Antoine Moreau, Ermes Toninelli, Thomas Gregory, Reuben S. Aspden, Peter A. Morris, Miles J. Padgett
Revista: Science Advances
Vol.: 5, no. 7, eaaw2563
DOI: 10.1126/sciadv.aaw2563

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…