Pular para o conteúdo principal

Madrepérola artificial é ideal para construir casas na Lua


Cada camada de madrepérola artificial tem cinco micrômetros de espessura. [Imagem: J. Adam Fenster/Rochester]

Conchas na Lua

Os primeiros astronautas a explorar a Lua de forma mais duradoura talvez não precisem morar em conchas, mas o material produzido por moluscos seria a opção ideal para construir as primeiras vilas lunares e marcianas.

É o que propõe uma equipe internacional trabalhando em conjunto na Universidade de Rochester, nos EUA.

A madrepérola, ou nácar, é um material duro e excepcionalmente resistente, produzido por alguns moluscos e que serve como a camada de revestimento interno das suas conchas - a camada externa das pérolas, com seu brilho intenso, também consiste de madrepérola.

O problema é que fabricar madrepérola artificialmente, em grandes quantidades, é ainda um desafio a vencer.

Ewa Spiesz e seus colegas encontraram um caminho para vencer esse desafio: Já que estavam se inspirando na natureza para fabricar um material ultraforte, ficaram na natureza mesmo, e encontraram bactérias que podem fazer o trabalho sozinhas usando apenas materiais biológicos.

Madrepérola artificial

A madrepérola artificial criada pela equipe consiste em uma sobreposição de camadas finas alternadas de carbonato de cálcio cristalizado e um polímero grudendo.

Para fabricar o cimento de cálcio, Spiesz colocou uma base de vidro ou plástico em um recipiente contendo uma fonte de cálcio, a bactéria Sporosarcina pasteurii e ureia, uma mistura que induziu a cristalização do carbonato de cálcio. Para fazer a camada de polímero, ela pegou a base com a primeira camada e a colocou em uma solução com a bactéria Bacillus licheniformis.

A seguir, é só ir repetindo o procedimento. Nesta versão de laboratório, leva cerca de um dia para criar um revestimento sobre vidro ou plástico, que se mostrou extremamente resistente. A equipe agora está testando o processo com metal e também tentando eliminar a necessidade do substrato.

"Estamos testando novas técnicas para fazer materiais mais espessos e nácares de forma mais rápida e que possam ser o próprio material inteiro [sem depender de substratos]," disse a professora Anne Meyer.


Vista ao microscópio, a madrepérola artificial tem uma incrível semelhança com o material produzido pelos moluscos. [Imagem: Spiesz et al. - 10.1002/smll.201805312]

Casas na Lua

O material biomimético e biologicamente produzido tem a dureza do nácar natural, ao mesmo tempo em que é resistente e, surpreendentemente, dobrável, abrindo caminho para uma ampla gama de utilizações.

Uma das características mais benéficas da madrepérola artificial é que ela é biocompatível - feita de materiais que o corpo humano produz ou que os humanos podem comer - o que a torna adequada para aplicações médicas, como ossos e implantes artificiais.

E, mais resistente e rígida do que a maioria dos plásticos, ela é muito leve, uma qualidade especialmente valiosa para uso em veículos de transporte como aviões, barcos ou foguetes. O revestimento de nácar também protege contra a degradação química e o intemperismo, o que o torna adequado para aplicações de engenharia civil.

A madrepérola também pode ser um material ideal para construir casas na Lua e outros planetas: os únicos ingredientes necessários seriam um astronauta e um pequeno tubo de ensaio contendo as bactérias. "A Lua tem uma grande quantidade de cálcio no regolito, então o cálcio já está lá. O astronauta traz as bactérias e ele próprio produz a ureia [na urina], que é a única outra coisa que você precisa para começar a fazer camadas de carbonato de cálcio," disse Meyer.

Bibliografia:

Bacterially Produced, Nacre?Inspired Composite Materials
Ewa M. Spiesz, Dominik T. Schmieden, Antonio M. Grande, Kuang Liang, Jakob Schwiedrzik, Filipe Natalio, Johann Michler, Santiago J. Garcia, Marie-Eve Aubin-Tam, Anne S. Meyer
Small
DOI: 10.1002/smll.201805312

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…