Pular para o conteúdo principal

Cientistas afirmam que desvendaram fenômeno celeste apelidado de STEVE


Brilho celeste semelhante a uma aurora boreal intrigava os pesquisadores nas últimas décadas

O fenômeno celeste conhecido como STEVE provavelmente é causado por uma combinação do aquecimento de partículas carregadas na atmosfera e elétrons energéticos como aqueles que alimentam uma aurora, afirma nova pesquisa.O nome significa "Strong Thermal Emission Velocity Enhancement" (fortalecimento da velocidade de emissão térmica forte, em tradução livre) e já era observado há muito tempo, mas só entrou na literatura científica após seu rastreamento, em 2016.

Comparado com as auroras que tendem a brilhar em faixas largas de luz verde, azul ou avermelhada, STEVE é relativamente fino e aparece como uma única fita de luz branca-arroxeada — às vezes apresentando também uma faixa de luz verde. Além disso, o fenômeno parece se esticar direto para o céu noturno, muitas vezes abrangendo mais de 600 mil quilômetros.

De acordo com os autores do estudo publicado pela AGU Geophysical Research Letters, o arco avermelhado e as faixas verdes são dois fenômenos distintos decorrentes de diferentes processos. O primeiro fenômeno é causado pelo aquecimento de partículas carregadas mais acima na atmosfera, semelhante ao processo que faz as lâmpadas brilharem; enquanto isso, o segundo é resultado de um mecanismo similar às auroras típicas.


A REPRESENTAÇÃO ARTÍSTICA DA MAGNETOSFERA DURANTE A OCORRÊNCIA DE STEVE, REPRESENTANDO A REGIÃO DO PLASMA QUE CAI NA ZONA AURORAL (VERDE), A PLASMASFERA (AZUL) E A FRONTEIRA ENTRE ELES (VERMELHO). OS SATÉLITES THEMIS E SWARM (ESQUERDA E SUPERIOR) OBSERVARAM ONDAS (TRAÇOS VERMELHOS) QUE ALIMENTAM O BRILHO ATMOSFÉRICO E A "CERCA" STEVE DE (INSERÇÃO), ENQUANTO O SATÉLITE DMSP (FUNDO) DETECTA A PRECIPITAÇÃO DE ELÉTRONS E UM ARCO INCANDESCENTE CONJUGADO NO HEMISFÉRIO SUL. (FOTO: EMMANUEL MASONGSONG, UCLA, AND YUKITOSHI NISHIMURA, BU/UCLA)

"Aurora é definida pela precipitação de partículas, elétrons e prótons que realmente caem em nossa atmosfera, enquanto o brilho atmosférico de STEVE vem do aquecimento, sem precipitação de partículas", disse Bea Gallardo-Lacourt, da Universidade de Calgary e co-autora do estudo, segundo Phys. "Os elétrons precipitantes que causam a "cerca" verde são, portanto, auroras, embora isso ocorra fora da zona auroral, por isso é realmente único."

O envolvimento público tem sido crucial para os estudos sobre STEVE, já que muitos fotografam e compartilham imagens do fenômeno, fornecendo dados precisos de tempo e localização: "À medida que as câmeras comerciais se tornam mais sensíveis e o entusiasmo [do público] com a aurora cresce e se espalha via mídia social, os cidadãos podem atuar como uma 'rede de sensores móveis' e somos gratos a eles por nos darem dados para analisar", afirma Toshi Nishimura, principal autor do novo estudo.


STEVE APRESENTA COLORAÇÃO ROXA E É MAIS FINO DO QUE AS AURORAS BOREAIS (FOTO: RYAN SAULT / ALBERTA AURORA CHASERS)

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…