Pular para o conteúdo principal

ONU vai ao espaço em 2021 para ajudar países em desenvolvimento


Ônibus espacial Discovery, na Estação Espacial Internacional (ISS,na sigla em inglês). A estação fica a 350 quilômetros da Terra, altura próxima à que ficará a missão da ONU, ainda sendo considerada baixa órbita. (veja.com/VEJA)

A missão é fazer com que países sem sua própria agência espacial possam realizar experimentos e ter acesso a tecnologias de desenvolvimento sustentável

A Organização das Nações Unidas (ONU) prepara o lançamento de sua primeira missão espacial para o ano de 2021, com o objetivo de ajudar países em desenvolvimento ou com menos recursos a realizarem experiências em microgravidade e se beneficiarem de tecnologias úteis para o desenvolvimento sustentável.

“Estamos realmente emocionados em oferecer pela primeira vez a oportunidade de realizar experiências científicas em órbita terrestre baixa (entre 200 e 2000 quilômetros de altura) com a tutela da ONU”, explicou a diretora do Escritório das Nações Unidas para Assuntos do Espaço Exterior (Unoosa, na sigla em inglês), a astrofísica italiana Simonetta Di Pippo. “Levar os benefícios do espaço para toda a humanidade é nossa meta e facilitar o acesso ao espaço para países em desenvolvimento é uma parte fundamental disso.”

A intenção, segundo ela, é “estudar questões relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, como a mudança climática, a segurança alimentar e a preservação da biodiversidade”. A missão não tripulada será desenvolvida em cooperação com a Sierra Nevada Corporation, uma empresa americana responsável por desenvolver um modelo de nave espacial reutilizável chamado Dream Chaser, parecida com as antigas naves da Nasa.

“A Dream Chaser foi selecionada pela agência [espacial] dos Estados Unidos para oferecer futuros serviços de reabastecimento à Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês), e é adequado para transportes tripulados e sem tripulação em órbita terrestre baixa”, de acordo com Simonetta.

A missão durará duas semanas e levará entre 25 e 30 experimentos para serem realizados em microgravidade. Por contar com um veículo reutilizável, o custo para a missão é mais baixo do que se fosse utilizada uma nave de apenas um uso. Além disso, a ONU ainda está buscando patrocinadores para reduzir custos. Mesmo assim, inevitavelmente, países cujos experimentos forem selecionados deverão também fazer uma contribuição ao projeto.

Missão acessível

Qualquer Estado-membro da ONU pode participar, mas a missão está especialmente pensada para países que não têm recursos para um programa espacial próprio, indicou Simonetta. “Os preparativos estão em curso para abrir a convocação para os experimentos da missão. Esperamos receber muitas solicitações de países latino-americanos”, comentou.

Para que a missão seja o mais acessível possível, Simonetta acrescentou que a ONU oferecerá assessoria para desenvolver os experimentos a países que não tenham um programa espacial estabelecido. Ela também enfatizou os benefícios da ciência e da tecnologia espacial, e disse considerar indispensável seguir investindo nelas. “As atividades espaciais são cruciais em nossa vida cotidiana. Influenciam e tornam possíveis muitas das coisas que damos como certas, seja o uso de um celular, revisar a previsão do tempo ou receber ajuda após um desastre”, explicou a italiana.

“É importante lembrar que o espaço fomenta o desenvolvimento industrial e econômico: investir no espaço significa criar novos empregos e tem um efeito positivo na riqueza de todo o país.” Além disso, a astrofísica diz que a tecnologia espacial pode ajudar a rastrear a propagação de doenças e permite a telemedicina, trazendo também benefícios para o desenvolvimento da pesquisa em saúde.

Simonetta defende o acesso livre a dados procedentes do espaço, o que aumentaria “os benefícios econômicos, a pesquisa e a inovação e apoiaria os processos de tomada de decisão sobre uma base de dados acessível e transparente”.

(Com EFE)

FONTE: REVISTA VEJA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…