Pular para o conteúdo principal

Veja como será a morte da amada sonda Cassini na atmosfera de Saturno



Como se já não estivéssemos tristes o bastante com o fim iminente da Cassini, a NASA agora criou um vídeo para que possamos assistir como serão os momentos finais da sonda quando ela se chocar com a atmosfera de Saturno em 15 de setembro.

Ao longo dos últimos 13 anos, o satélite Cassini, da NASA, conduziu algumas das mais importantes expedições científicas em torno de Saturno e suas luas. As imagens e a informação que a sonda enviou de volta para a Terra permitiram a publicação de mais de 3.000 artigos científicos, de acordo com a NASA. Porém, após passar quase 20 anos no espaço, a Cassini está ficando sem combustível, e, em vez de arriscar uma colisão indesejada em uma das 62 luas de Saturno, a NASA decidiu encerrar a missão da Cassini mergulhando-a na atmosfera do planeta. Ela sairá de cena triunfante, como o Gigante de Aço no fim daquele filme miserável e triste que adoro com cada fibra de meu ser.

O vídeo, de 3m40s, recapitula algumas das maiores conquistas da Cassini, como encontrar lagos de metano na lua Titã e plumas geladas na Encélado. Tudo termina com a última atuação da missão de Grand Finale de seis meses da Cassini, em que o satélite irá queimar na órbita de Saturno e se tornar parte do mesmo objeto que tem estudado há mais de uma década. Aqui entram as lágrimas e a música triste.

Para ser justa, isso é muito a cara da Cassini: mesmo em sua morte, o corajoso e pequenino satélite terá sua antena apontada para a Terra, transmitindo sua vida até o último instante.

Em 26 de abril, a Cassini irá começar seu “grand finale“, uma série de 22 mergulhos entre Saturno e seus anéis, culminando em 15 de setembro. Embora todos estejamos tristes que ela irá partir, pelo menos o fará com muita glória. Vá com Deus, pequena Cassini.



FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…