Pular para o conteúdo principal

A SpaceX já está divulgando sua viagem para Marte – sem alertar sobre os riscos



Elon Musk quer te levar para Marte, mas também quer alguma grana para isso – alguns milhares de dólares, pelo menos. Com o mais recente sucesso da SpaceX, em que a companhia conseguiu lançar pela primeira vez na história um foguete que já tinha sido utilizado no espaço orbital, os entusiastas pela viagem para o Planeta Vermelho e os bilionários interessados nesse negócio ficaram ainda mais animados.

“Espero que vocês todos estejam pensando sobre suas passagens para Marte”, disse Gwynne Shotwell, presidente da SpaceX, aos participantes do 33º Simpósio Espacial em Colorado Springs, nesta semana, de acordo com a notícia do Inverse. “[A reusabilidade] é uma capacidade tremenda, e eu a recomendo fortemente para todos vocês”, completou.

Musk tinha anunciado o preço de US$ 200 mil para as futuras viagens da SpaceX em direção a Marte. Isso foi em setembro de 2016, durante o 67º Congresso Internacional de Astronáutica, em Guadalajara, no México, onde discutiu seus planos de tornar humanos uma “espécie interplanetária”. O plano se baseia fortemente na utilização de foguetes recondicionados da SpaceX para abaixar os custos, o que hipoteticamente poderia ajudar os turistas de Marte também.

Mas, mesmo com foguetes reutilizáveis, enviar humanos para Marte deverá custar muito mais do que US$ 200 mil. Ella Atkins, professora do Departamento de Engenharia Aeroespacial da Universidade de Michigan, permanece um pouco cética sobre essa quantia, especialmente se já envolver os custos de sustento das pessoas uma vez que pousarem no planeta vizinho.

“Apenas por uma análise básica dos foguetes e da gravidade, e depois fazendo alguns cálculos sobre o quanto seria necessário para sustentar pessoas… 200 mil parece muito ambicioso”, disse ela ao Gizmodo. “Mas existem algumas políticas aqui: quantas pessoas irão atrás disso se a SpaceX lhes disser ‘é, vai custar um milhão de dólares para ir a Marte’.”

O valor de US$ 200 mil oferece para as pessoas uma sensação de esperança. Segundo Atkins, alguns entusiastas dedicados a Marte talvez sintam que essa passagem é possível se eles economizarem por 20 ou 30 anos. “Eu acho que [a SpaceX] está fazendo o que precisa fazer, porque eles querem o apoio dos americanos”, explicou Atkins. “Eles querem que o congresso se sinta pressionado para financiar empresas como a SpaceX… Então, se eles saírem e disserem ‘sim, realmente vamos levar apenas os bilionários para Marte’, isso não vai convencer o congressista médio – que precisa responder aos eleitores não-bilionários – a querer dar uma grana alta para a SpaceX.”

Atkins notou que existe um outro custo envolvido em uma viagem para Marte, algo que US$ 200 mil representa muito pouco do valor real: a vida. “O risco de uma viagem espacial é extremamente alto”, disse ela. “Eu não sei se as pessoas percebem isso.”

Para ser justa, Elon Musk alertou seus fãs que deveriam estar preparados para morrer por este sonho – especialmente na primeira missão. “O risco de fatalidades será alto”, contou para a plateia de Guadalajara em setembro. “Seria basicamente assim, você está preparado para morrer? Se isso não for um problema, você é um candidato para a viagem… A probabilidade de morte é bem alta na primeira missão.”

Além da possibilidade de um desastre súbito, como aconteceu com a Apollo 13 ou com a tragédia de Columbia, existem alguns efeitos de saúde mais subliminares em uma viagem de um ano para Marte, seguidos pelo tempo que se passará na superfície. Os primeiros resultados do estudo dos gêmeos da NASA, que analisou os astronautas Mark e Scott Jelly, revelaram que o ano espacial de Scott causou alterações até no nível genético. Outro estudo recente mostrou que o volume de matéria cinzenta nos cérebros dos astronautas – que é responsável pela percepção sensorial, emoções e outras funções importantes – flutuou em diversas áreas, como resultado de voos espaciais longos e curtos. Os cientistas ainda estão trabalhando para entender quais impactos na saúde essas alterações podem causar. Enquanto isso, é sabido que muito tempo fora da Terra pode causar perda da massa óssea, desgaste dos músculos, mudanças na visão e exposição a radiação prejudicial.

Não está claro se a SpaceX planeja preparar os turistas para a possibilidade da viagem para Marte ter um caminho só de ida ou ser uma aventura com consequências para a saúde que nos forçaria a alterar radicalmente nossa biologia. Não sabemos nem mesmo como a companhia faria isso. Musk já disse ao Gizmodo que essa ideia era “ridícula”, afirmando que “estar no espaço profundo ou na órbita da Terra por longos períodos é bem pior do que em Marte”.

“Os astronautas querem fazer isso de qualquer maneira, porque eles são exploradores, porque eles sentem que é parte do valor”, disse Atkins. “Se realmente é o caso de estarmos apenas propagando essa ideia para pessoas aleatórias que esperam voltar com vida, sinto que é preciso ter mais realismo sobre a probabilidade de eles voltarem vivos. Sinto que essa probabilidade é bem pequena.”

Em algum nível, todos sabemos que o espaço é arriscado – lançar um pedaço de metal para lá, não importando o quão maravilhosamente projetado ele seja, é inerentemente maluco. Se alguém pode gastar quantias exorbitantes de dinheiro para ir a Marte, boa viagem. Mas ninguém deveria dizer para pessoas comuns começarem a guardar algum dinheiro em uma conta de aposentadoria para Marte sem ser completamente honesto no preço que está definitivamente envolvido.

“Sempre haverá alguém que realmente quer ir”, disse Atkins. “Mas a comunidade precisa ser mais honesta sobre o que isso significará.”

Imagem do topo: SpaceX via Flickr

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…