Pular para o conteúdo principal

O Caso Zamora

Um dos mais extraordinários aparecimentos de OVNIs ocorreu a 24 de abril de 1964, no Novo México.

Infrator

Lonnie Zamora, então policial com 31 anos, notou um automóvel que atravessou a cidade em alta velocidade indo na direção sul. No mesmo instante, um casal com três filhos observou um objeto voador oviforme, aparentemente de alumínio ou magnésio, sobrevoando a uma baixa altura. O motorista ainda havia xingado o piloto. Então, foi ultrapassado por um automóvel policial e comentou que, eventualmente, aquele carro estaria perseguindo o “piloto infrator de regras de trânsito”. Ele parou em um posto de gasolina e comentou daquele piloto sem escrúpulos. Contou o caso ao dono do posto, Opal Grinder, e seu filho, Jimmy, dando detalhes do estranho avião.

Nesse mesmo momento, Zamora se encontrava na zona sul da cidade, postado na entrada de uma rua sem saída, esperando pelo então infrator. De repente, ele ouviu um ruído uivante, acompanhado de um brilho azul, muito claro, aparentemente oriundo de uma garganta situada em uma zona desabitada, a oeste, a uns 900 metros da cidade.




Na Garganta

Posteriormente, Zamora lembrou-se de ter visto uma nuvem de poeira subir, que o fez pensar na explosão de um depósito de dinamite. Como policial consciencioso, quis certificar-se da ocorrência e, por uma estrada emburacada, dirigiu-se para a colina mais próxima, a fim de observar toda a região. A uns 650 metros, viu no fundo de uma garganta um objeto branco, que, à distância se assemelhava a um carro, virado sobre o radiador; ao lado estavam duas pequenas figuras que se movimentavam.





“Tudo quanto pude distinguir foram dois “macacões” brancos, ao lado do objeto de cerca de 1,20m de altura“, disse Zamora.

Comunicando pelo rádio a ocorrência, Zamora dirigiu-se à garganta. Por revés, ao passar por uma baixada perdeu o objeto de vista. Prosseguiu e parou seu carro acima da garganta, a uns 30 metros do objeto e desceu. O objeto se encontrava no fundo da garganta, a cerca de 7 metros e as duas figuras haviam desaparecido de sua visão. Aproximado-se do objeto, Zamora relatou que se tratava de um “objeto oviforme, de cor prateada, sem janelas. Estava parado sobre um trem de pouso de cerca de 1,20m de altura, de seis pernas, e era do tamanho de um automóvel“.



O Emblema



No entanto o silêncio foi interrompido repentinamente por um ruído infernal provido do objeto. Zamora, desesperado, se afastou procurando se refugiar entre a vegetação. Ao olhar para trás, observou que o objeto subia verticalmente. Se atirando no chão, Zamora cobriu a cabeça com ambas as mãos e aguardou ansiosamente. Passados alguns segundos, que pareciam uma eternidade, ele notou que nada acontecia e arriscou dar uma espiada cautelosa em direção ao OVNI. Para sua grande surpresa, viu que o objeto pairava a uns 7 metros acima do solo em absoluto silêncio. Zamora ainda pode distinguir um emblema de cor vermelho, de aproximadamente 30cm de altura, que mostrava uma lua crescente, com uma seta vertical no meio e um traço horizontal, abaixo. O objeto então voou sobre a garganta em direção ao sul e desapareceu.



O Rádio

Voltando correndo para o automóvel, Zamora tentou por diversas vezes comunicar-se com a central de serviço, porém o rádio emudecera e levou um bom tempo para tornar a funcionar. O sargento Chávez, da polícia estadual, se dirigiu para ajudar Zamora.

Segundo o sargento, Zamora estava um tanto quanto fora de si. Na garganta um arbusto havia se incendiado, no solo havia impressões distintas sendo que quatro delas formando uma espécie de losango, medindo 25x45cm, e duas impressões redondas, dispostas a intervalos de alguns cm.

Cháves comunicou a ocorrência às Forças Armadas que mandaram especialistas ao local, dentre eles, Prof. Allen Hynek.

Além daquela família, duas outras pessoas avistaram o OVNI: Paul Kies e Larry Kratzer, de Dubuque, Iowa, que viajavam a mais ou menos 1,5 km do local da ocorrência.


Marca de pouso fotografada no local onde o OVNI foi observado

Acobertamento

O serviço secreto e o FBI, representado pelo agente J. Arthur Byrnes Jr., também trataram do caso (!), como não poderia deixar de ser. Zamora foi instruído para não mencionar o incidente e mantê-lo em segredo, principalmente quanto ao detalhe das duas figuras de branco e do emblema. Ao ser indagado a respeito, o policial, conhecido como absolutamente sério e cônscio dos seus deveres, limitou-se a responder: “Bem que eu gostaria de saber o que foi. Mas nada sei, além de ter visto o objeto. E é só.”

A Força Aérea continuou em suas pesquisas, mas jamais chegou a esclarecer o caso, apesar de suas intensas e minuciosas investigações.


Desenhos feitos por Zamora.

Episódio da série Projeto Ufo inspirado no caso Zamora:



Veja os demais episódios no link a seguir: http://ufos-wilson.blogspot.com.br/2016/11/raridade-projeto-ufo.html

FONTE: http://www.portalburn.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…