Pular para o conteúdo principal

Conheça as viagens espaciais que marcarão 2017


A espaçonave da Blue Origin, lançada pelo foguete New Shepard, em junho de 2016. Em 2017 estão previstos testes para que a cápsula transporte astronautas ao espaço. (Blue Origin/Divulgação)

Os grandes destaques serão os lançamentos de voos tripulados ao espaço feitos por empresas privadas como SpaceX e Boeing

Em 2017, os principais lançamentos de voos espaciais serão de empresas particulares. SpaceX, Blue Origin e Boeing vão estrear suas cápsulas tripuladas, em viagens que marcam uma mudança radical para a exploração espacial. Será a primeira vez na história em que o transporte de astronautas, até então responsabilidade de agências governamentais, como a Nasa, serão entregues ao setor privado. Se os voos forem bem sucedidos, eles vão inaugurar uma nova era espacial, em que empresas farão as missões mais curtas e menos arriscadas (ao menos do ponto de vista científico) enquanto as agências ficarão com as viagens de longo prazo e mais audaciosas, como o voo a Marte.

“Essas experiências serão um divisor de águas na forma como vamos encarar as viagens daqui em diante. Estamos falando de iniciativas privadas que tentam provar seus modelos de negócio e capacitarem suas tecnologias para servirem de base para toda a próxima década”, explica o engenheiro espacial Lucas Fonseca, da missão Garatéa, a primeira viagem espacial brasileira à Lua.

Além da participação comercial efetiva na conquista do espaço, uma importante missão da Nasa será lançada no próximo ano. O Transiting Exoplanet Survey Satellite (Tess), que vai monitorar planetas ao redor de estrelas anãs, pretende fazer um estudo preliminar desses planetas – possíveis alvos para o telescópio James Webb, que será lançado em 2018 com a missão de examinar a atmosfera desses planetas e descobrir se ela contém substâncias que só poderiam ser geradas por organismos vivos, como os seis elementos essenciais à vida (carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e enxofre). Se existir, em algum lugar do universo, uma Terra 2.0, o Tess irá ajudar os astrônomos a encontrá-la.

“O ano de 2017 será muito favorável às missões espaciais. Para lançarmos ao espaço equipamentos tão complexos como um foguete ou uma nave tripulada, precisamos desenvolver sofisticadas tecnologias que, no futuro, serão adaptadas e utilizadas na vida cotidiana. Este é um dos aspectos mais importantes da exploração espacial e 2017 será especialmente movimentado nesse sentido”, explica Rundsthen Vasques de Nader, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e astrônomo do Observatório do Valongo, na UFRJ.

Confira abaixo os principais lançamentos e viagens espaciais de 2017:

1. Cápsula Dragon, da SpaceX

(SpaceX/Divulgação)

Desenvolvida pela SpaceX, empresa do sul-africano Elon Musk, a Dragon foi a primeira cápsula construída por uma empresa privada capaz de transportar carga para a Estação Espacial Internacional (ISS). Desde 2012, ela leva experimentos e mantimentos aos astronautas que estão na estação que orbita a Terra. Contudo, segundo a SpaceX, a cápsula foi inicialmente desenvolvida para levar astronautas até a ISS e está sendo aperfeiçoada para fazer seus primeiros voos tripulados. A Dragon é uma aeronave de 7,2 metros de altura, 3,7 metros de diâmetro e 6 toneladas, equipada com propulsores e capaz de transportar até sete astronautas. De acordo com a previsão da empresa, os testes que estavam programados para 2016 devem acontecer até maio de 2017.


2. Espaçonave Blue Origin

(Blue Origin/Divulgação)

A empresa do bilionário Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, foi a primeira a fazer, em novembro de 2015, o voo bem sucedido do New Shepard, um foguete reutilizável. Desde então, a empresa vem realizado, sem muito estardalhaço, testes e melhorias em sua cápsula que levará astronautas – e turistas – ao espaço. Bezos espera que os primeiros testes da aeronave sejam feitas ao longo de 2017 e as primeiras viagens turísticas, no ano seguinte. Em outubro de 2016, a empresa testou com sucesso um sistema de emergência capaz de salvar tripulantes se o foguete tiver problemas, o que revela que os testes estão em estágio bastante avançado.


3. Impulso da sonda Osiris-REx

(Divulgação/Nasa)

Em setembro de 2017, a missão Osiris-Rex, da Nasa, fará uma complexa manobra que a impulsionará rumo ao asteroide Bennu, onde ela deve chegar em outubro de 2018. A sonda vai utilizar a gravidade da Terra para ganhar velocidade e levá-la até Bennu, um pedregulho de 500 metros de diâmetro. A manobra deve ser acompanhada de perto pelos astrônomos, pois qualquer erro de cálculo pode colocar a perder a missão, que custou cerca de 800 milhões de dólares. O objetivo é que a Osiris-REx consiga chegar em segurança ao asteroide para conseguir colher até dois quilos de amostras do asteroide, que é considerado pelos astrônomos uma “relíquia” dos primórdios do sistema solar. Os cientistas esperam que o material recolhido ajude a descobrir pistas sobre as origens da vida na Terra.


4. Satélite TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite), da Nasa

(Divulgação/Nasa)

O Transiting Exoplanet Survey Satellite (Tess) foi desenvolvido pela Nasa em parceria com as maiores instituições de pesquisa astronômica do mundo com a proposta de ser um “caçador de planetas”. Com lançamento previsto para dezembro de 2017, ele vai identificar planetas orbitando estrelas que tenham tamanho entre a Terra e Júpiter. A principal meta da missão é detectar esses corpos celestes localizados na vizinhança do sistema solar e fazer um estudo preliminar sobre eles, analisando seu tamanho, massa, densidade. Durante dois anos, o satélite deve monitorar mais de 200.000 estrelas e espera catalogar mais de 1.500 exoplanetas (planetas fora do sistema solar). Os dados da missão serão utilizados para que o telescópio James Webb, que será lançado em 2018 para substituir o Hubble, escolha possíveis alvos para suas análises. O futuro telescópio deve analisar a atmosfera dos planetas escolhidos para descobrir se ela contém substâncias que só poderiam ser geradas por organismos vivos, como os seis elementos essenciais à vida (carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e enxofre).


5. Nave CST-100 Starliner, da Boeing

(Boeing/Divulgação)

A Boeing, empresa que, junto com a SpaceX, assinou um contrato de 6,8 bilhões de dólares para fazer testes de cápsulas tripuladas capazes de chegar à Estação Espacial Internacional (ISS), tem testes previstos ao longo de 2017. Durante o ano, a empresa deve aprimorar a tecnologia da CST-100 Starliner, que está preparada acomodar até sete astronautas e pode ser adaptada para transportar carga e passageiros. Segundo a Boeing, o voo inaugural da cápsula, reutilizável, deve acontecer entre o fim de 2017 e o início de 2018.

FONTE: REVISTA VEJA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…