Pular para o conteúdo principal

Astrônomos descobriram um tipo novo de galáxia


Astrônomos da University of Minnesota Duluth e do North Carolina Museum of Natural Sciences identificaram uma nova classe de galáxia em anel. Batizada de PGC 1000714, ela possui um núcleo elíptico com não apenas um, mas dois anéis. É a única galáxia desse tipo conhecida no universo.

A maior parte das galáxias são espirais em forma de disco ou elípticas em forma de ovo, mas existem alguns formatos excêntricos também, como as lenticulares (quase que uma mistura entre espirais e elípticas), irregulares (que não possuem uma forme ou estrutura distinguível), e aquelas com densidades extremamente baixas conhecidas como objetos ultra difusos.

Entre essas excentricidades estão as galáxias em anel – belos objetos celestes que possuem um núcleo elíptico bem definido que é cercado por um único anel de estrelas, sem nada visível os conectando. A mais famosa desse tipo é o Objeto de Hoag, descoberta em 1950 e batizada em homenagem ao astrônomo que a viu pela primeira vez, Arthur Hoag.

As galáxias em anel, também conhecidas como Objetos de Hoag, são excepcionalmente raras no universo – menos de 0,1% de todas as galáxias observadas são desse tipo – e astrônomos fazem bastante barulho quando alguma é descoberta.


Uma galáxia em anel convencional, conhecida como Objeto de Hoag. Imagem: Hubble/NASA.

De acordo com o estudo publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, nós podemos adicionar uma nova galáxia em anel para a pequena lista – mas é uma galáxia em anel que merece uma subclassificação própria: um núcleo elíptico cercado de dois anéis distinguíveis e independentes.

O objeto, conhecido como PGC 1000714, ou Galáxia de Burcin (que ganhou esse nome por causa da líder do estudo, Burcin Mutlu-Pakdil), está localizada a aproximadamente 359 milhões de anos-luz de distância e sua estrutura incomum está proporcionando aos cientistas descobertas únicas sobre como as galáxias se formam e evoluem.


A imagem da esquerda mostra uma imagem em cores não reais da PGC 1000714. A imagem da direita exibe um mapa bicolor que revela o anel exterior (azul) e o anel interior difuso (verde claro). Imagem: Ryan Beauchemin.

Ao analisar imagens em diversas faixas de frequência da galáxia, os pesquisadores detectaram um anel exterior azul, o que significa que ele é jovem (cerca de 0,13 bilhões de idade), envolto por um núcleo elíptico central vermelho e bem mais velho (5,5 bilhões de idade). Surpreendentemente, eles descobriram um segundo anel interior em volta do corpo central.

“Observamos galáxias com anel azul em volta de um corpo vermelho central antes, o mais conhecido desse tipo é o Objeto de Hoag. No entanto, a característica única dessa galáxia é o que parece ser uma anel interno vermelho mais velho e difuso”, observou Patrick Treuthardt, co-autor do estudo e astrofísico do North Carolina Museum of Natural Sciences, num comunicado.



Astrônomos não estão completamente convencidos sobre como as galáxias em anel se formam, mas é possível que as regiões exteriores surjam do resultado da colisão de gases. “As diferentes cores do anel interior e exterior sugere que essa galáxia passou por dois períodos diferentes de formação”, contou Mutlu-Pakdil. Dito isso, os pesquisadores acreditam que é praticamente impossível saber como os anéis dessa galáxia particular se formaram.

“Sempre que encontramos um objeto único ou estranho para estudar, ele desafia nossas teorias e suposições atuais sobre como o universo funciona”, disse Treuthardt. “Geralmente a descoberta nos diz que ainda temos muito o que aprender”.

[Monthly Notices of the Royal Astronomical Society]

Imagem do topo: Ao contrário de outras galáxias em anel, a PGC 1000714 possui dois anéis. É a primeira galáxia desse tipo descoberta. Créditos: Ryan Beauchemin.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…