Pular para o conteúdo principal

Programa de computador vê cinco minutos no futuro


A equipe usou uma Rede Neural Recorrente para que o programa pudesse aprender as tarefas mostradas nos vídeos.[Imagem: Yazan Abu Farha et al. (2018)]

Programa adivinha futuro

Cientistas da computação desenvolveram um programa de computador que consegue ver o futuro - alguns minutos no futuro.

Yazan Abu Farha e seus colegas da Universidade de Bonn, na Alemanha, desenvolveram um programa de autoaprendizagem que consegue estimar com um nível de precisão impressionante o tempo e a duração de atividades futuras - um futuro que cobre períodos de mais de três minutos, com boa precisão, e até cinco minutos com precisão aceitável.

O programa primeiro aprende uma sequência típica de ações, como cozinhar, assistindo a sequências de vídeo. Com base nesse aprendizado, ele então prevê em novas situações o que o cozinheiro deverá fazer em determinado momento.

"Nós queremos prever o tempo e a duração das atividades - minutos ou até horas antes que elas aconteçam," destacou o professor Jurgen Gall, orientador do trabalho.

Com isso, um robô assistente, por exemplo, poderia passar os ingredientes assim que eles forem necessários, pré-aquecer o forno no momento certo, e ainda avisar o cozinheiro se ele está prestes a esquecer um passo da preparação ou a colocação de um ingrediente.

A equipe também vislumbra aspiradores de pó automáticos que sabem que não podem atuar na cozinha na hora da preparação das refeições e vai então limpar a sala.

As redes complexas são capazes de evoluir, o que as torna uma das ferramentas mais importantes da inteligência artificial para prever o futuro. [Imagem: Research on Complex Systems Group/Northwestern University]

Programa oráculo

Nós humanos somos muito bons em antecipar as ações dos outros. Para os robôs e computadores, no entanto, essa capacidade ainda está em sua infância. A vantagem é que eles são bem rápidos em aprender e não se entendiam durante as aulas.

Por exemplo, os dados de treinamento usados pela equipe estavam em 40 vídeos nos quais cozinheiros preparavam diferentes saladas. Cada uma das gravações tinha cerca de 6 minutos e continha uma média de 20 ações diferentes. Os vídeos também mostravam cronômetros, permitindo aferir o momento em que cada ação começou e quanto tempo demorou.

O programa de inteligência artificial "assistiu" a esses vídeos, totalizando cerca de quatro horas, sem intervalos. Com isso, o algoritmo aprendeu como as ações se encadeiam e quanto tempo cada uma delas dura. Parece fácil, mas não é nada trivial, já que cada cozinheiro tem seu próprio jeito de agir e as sequências variam dependendo da receita - para não complicar demais, a equipe só coletou vídeos de preparos de saladas.

Para testar se o programa havia mesmo aprendido a preparar saladas, a equipe o confrontou com vídeos que ele não havia visto antes. Depois de assistir entre 20 e 30% do vídeo, o programa devia prever passos que aconteceriam durante o resto do filme.

"A precisão foi superior a 40% para períodos de previsão curtos, mas depois caiu quanto mais o algoritmo tinha que olhar para o futuro," contou Gall.

Para atividades mais de três minutos no futuro, o oráculo informático acerta cada vez menos, prevendo 15% dos passos com precisão conforme se aproxima dos cinco minutos no futuro - mas é importante ressaltar que os pesquisadores só deram o prognóstico como correto quando tanto a ação quanto seu tempo de duração foram corretamente preditos pelo programa.

Bibliografia:

When will you do what? - Anticipating Temporal Occurrences of Activities
Yazan Abu Farha, Alexander Richard, Jurgen Gall
Proceedings of IEEE Conference on Computer Vision and Pattern Recognition 2018
http://pages.iai.uni-bonn.de/gall_juergen/download/jgall_anticipation_cvpr18.pdf

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Sintomas bizarros de “ataque sônico” estariam se espalhando por diplomatas americanos pelo mundo

Por: Rhett Jones

Por mais de um ano e meio, diplomatas norte-americanos sofreram de doenças parecidas, que incluíam danos cerebrais leves e perda de audição, depois de terem alegado ouvir sons incomuns. Os incidentes começaram em Cuba, mas os relatos agora se espalharam para outros países. À medida que as autoridades ampliaram os esforços para tratar os casos potenciais, quase 200 pessoas teriam se apresentado para serem examinadas.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos teve pouco a dizer sobre os incidentes que começaram em Havana, no fim de 2016, e o vácuo de informações abriu as portas para teorias da conspiração e outras alegações não checadas. Por ora, ninguém pode dizer com certeza o que está acontecendo nesses casos, mas parece que diplomatas norte-americanos estão sendo alvos de algum tipo de ataque que tem deixado os especialistas perplexos. No começo, os oficiais acreditavam que algum “dispositivo sônico” desconhecido estivesse sendo usado contra as vítimas, mas outra…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…