Pular para o conteúdo principal

Os humanos a caminho de Marte podem enfrentar um grande risco de câncer



Praticamente todo mundo que gosta de espaço e tem bastante dinheiro está tentando ir para Marte em um futuro próximo. Mas antes que qualquer pessoa alcance o Planeta Vermelho, há várias preocupações, mais notavelmente a de que nossos corpos não foram construídos para viver em uma caixa de areia estéril com uma fina atmosfera. Mas a jornada em si para Marte é uma preocupação tão grande quanto. E um desanimador novo estudo sugere que essa viagem poderia aumentar os riscos de os passageiros desenvolverem câncer — risco possivelmente duas vezes maior do que especialistas achavam anteriormente.

A pesquisa, liderada por Frank Cucinotta — professor do departamento de física da saúde e ciências diagnósticas da Universidade de Nevada, em Las Vegas — afirma que modelos atuais de risco de câncer por voos espaciais de longa duração são incompletos. Para dar um contexto, astronautas no espaço estão expostos a raios cósmicos galácticos enquanto estão lá em cima — afinal de contas, eles não têm a magnetosfera da Terra para protegê-los de partículas prejudiciais. Esses raios cósmicos são preocupantes, já que podem causar dano e mutação ao DNA, e, obviamente, quanto mais tempo alguém fica no espaço, mais exposto fica a essas partículas. O trabalho foi publicado na edição de maio deste ano da Scientific Reports.

Os modelos atuais de risco da NASA afirmam que o câncer por radiação vem principalmente de raios cósmicos que bagunçam nosso DNA, mas o novo modelo dessa equipe de pesquisadores sugere que a realidade pode ser bem pior. Após estudar tumores em ratos, os pesquisadores acreditam que as células danificadas por raios cósmicos poderiam na verdade impactar outras células saudáveis ao redor delas, como um efeito dominó mortal.

“A exposição a raio cósmico galáctico pode devastar o núcleo de uma célula e causar mutações que podem resultar em cânceres”, explicou Cucinotta, em um comunicado. “Descobrimos que as células danificadas enviam sinais para as células não afetadas em seu entorno e provavelmente modificam os microambientes dos tecidos. Esses sinais parecem inspirar as células saudáveis a mutar, causando então tumores ou cânceres adicionais.”

O pior de tudo é que os trajes espaciais não serão de muita serventia.

“Explorar Marte vai exigir missões de 900 dias ou mais e inclui mais de um ano no espaço profundo, onde exposição a todas as energias de íons pesados de raio cósmico galáctico são inevitáveis”, disse Cucinotta. “Os níveis atuais de defesa contra a radiação iriam, no máximo, diminuir modestamente os riscos de exposição.”

Claramente, mais pesquisas terão de ser conduzidas para confirmar o quanto estarão em risco os exploradores de Marte e o que pode ser feito para protegê-los dos raios cósmicos (ratos não são humanos, afinal). Mas para acrescentar só mais uma camada de notícia, Marte tem uma atmosfera superfina — menos de 1% da espessura da atmosfera da Terra —, então vai expor as pessoas a ainda mais radiação após o pouso. Esperamos que tudo isso seja resolvido em breve, antes que as colônias marcianas se iniciem, ou então isso pode ser desastroso.



[Scientific Reports]

Imagem do topo: NASA

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…