Pular para o conteúdo principal

Cientistas fazem primeira grande análise do DNA de múmias egípcias


Cientistas conseguiram sequenciar o DNA de múmias egípcias de Abusir el-Meleq, uma das quais estava enterrada neste sarcófago (bpk/Aegyptisches Museum und Papyrussammlung, SMB/Sandra Steiss/Divulgação)

Pesquisadores alemães sequenciaram o genoma de 90 múmias, criando o banco de dados genético mais confiável sobre o Egito Antigo

O cuidado que os egípcios devotavam a seus mortos fez com que as múmias se tornassem uma excelente fonte para o estudo de populações da antiguidade. Contudo, inúmeros fracassos na extração do DNA desses corpos levaram alguns especialistas a acreditar que o processo de mumificação, que conservava traços corporais com perfeição, destruía os genes. Usando uma avançada tecnologia, cientistas do Instituto Max Planck em Iena, na Alemanha, conseguiram, pela primeira vez, sequenciar o DNA de noventa múmias de uma só vez, criando o banco de dados genético mais confiável sobre o Egito Antigo. Os primeiros resultados do estudo do material revelam que a população que habitava a região entre 1.400 a.C e 400 d.C. tinha genes bastante semelhantes a grupos do Oriente Médio, contrastando com egípcios modernos, que têm genomas parecidos com os de populações africanas.

Os detalhes da pesquisa, publicados nesta terça-feira na revista Nature Communications “finalmente provam que há DNA preservado em múmias egípcias”, afirmou o antropólogo italiano Albert Zink, que estudou o genoma de múmias como a de Tutancâmon, ao site da revista Science.

Ancestrais egípcios

Para conseguir o feito, a equipe liderada pelo geneticista Johannes Krause estudou as múmias encontradas na região de Abusir el-Meleq, que fica ao logo do rio Nilo. Os pesquisadores examinaram noventa dos 151 exemplares, que fazem parte das coleções da Universidade de Tübingen e do Museu da Pré-História, na Alemanha, e recolheram o DNA mitocondrial – de três corpos foi possível extrair o DNA nuclear. O DNA nuclear é valioso porque preserva as informações de todos os ancestrais, enquanto o contido nas mitocôndrias contém apenas as informações da linhagem materna.

“Estávamos interessados em olhar as transformações e continuidades na configuração genética dos antigos habitantes de Abusir el-Meleq”, explicou Alexander Peltzer, pesquisador da Universidade de Tüebingen, e um dos autores do estudo, em comunicado.

Em seguida, os cientistas compararam o DNA das múmias com o genoma de populações antigas e modernas do Oriente Médio, Ásia, Europa e África. A análise mostrou que as múmias tinham parentesco próximo com as populações mais antigas do Oriente Médio, da Anatólia e também da Europa. As múmias quase não apresentavam genes de populações africanas, apesar de os habitantes atuais do Egito terem entre 15% a 20% do genoma herdado da África.

De acordo com os pesquisadores, é possível que essa transformação no DNA da população tenha surgido em eras posteriores, quando o comércio da região foi intensificado (incluindo o comércio de escravos), durante a Idade Média.

Segundo o estudo, apesar de essa não ser a primeira vez que o DNA das múmias é estudado, essas são as primeiras amostras do genoma que passaram por testes modernos e confiáveis de autenticidade, que comprovam que não houve contaminação do DNA. Os cientistas esperam que os dados ajudem a compreender o Egito e a história dessa população.

FONTE: REVISTA VEJA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…