Pular para o conteúdo principal

Rover Opportunity vai explorar escoadouro marciano


Esta cena captada pelo rover Opportunity mostra "Wharton Ridge", que forma parte da parede sul de "Marathon Valley", na orla da Cratera Endeavour. O nome desta formação honra o astrobiólogo Robert A. Wharton (1951-2012). A cena mostra cores quase verdadeiras.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona


De acordo com os últimos planos da missão de 12 anos, o rover Opportunity da NASA vai descer uma vala esculpida há muito tempo atrás por um líquido que poderá ter sido água. Nenhum rover marciano fez isto antes.

O rover há mais tempo ativo em Marte irá também, pela primeira vez, visitar o interior da cratera onde tem trabalhado durante os últimos cinco anos. Estas atividades fazem parte de uma missão alongada de dois anos que começou no dia 1 de outubro, a mais recente numa série de extensões que remontam ao final da missão principal do Opportunity em abril de 2004.

O Opportunity foi lançado no dia 7 de julho de 2003 e aterrou em Marte no dia 24 de janeiro de 2004, numa missão planeada de 90 dias marcianos, o equivalente a 92,4 dias terrestres.

"Nós excedemos agora a duração da missão principal por um fator de 50," realça John Callas, gerente do projeto Opportunity no JPL da NASA em Pasadena, Califórnia, EUA. "Marcos como este lembram-nos dos feitos históricos tornados possíveis pelas pessoas dedicadas a quem foi confiada a construção e operação deste ativo nacional na exploração de Marte."

O rover Opportunity começou a sua mais recente missão prolongada na porção "Bitterroot Valley" da orla ocidental da cratera Endeavour, uma bacia com 22 km de diâmetro que foi escavada por um impacto de meteoro há milhares de milhões de anos. O Opportunity alcançou a borda desta cratera em 2011 depois de mais de sete anos a investigar uma série de crateras mais pequenas. Nessas crateras, o rover encontrou evidências de água ácida antiga que encharcou camadas subterrâneas e por vezes cobriu a superfície.

A vala escolhida como o próximo grande destino corta de oeste para este a orla da cratera a menos de um quilómetro para sul da posição atual do rover. Tem quase o comprimento de dois campos de futebol.

"Estamos confiantes de que esta é uma vala esculpida por fluidos e que a água esteve envolvida," afirma Steve Squyres, investigador principal do Opportunity e da Universidade Cornell em Nova Iorque. "As ravinas esculpidas em Marte já são vistas a partir de órbita desde a década de 1970, mas nenhuma tinha antes sido examinada de perto. Um dos três objetivos principais da nossa missão prolongada é investigar esta formação. Esperamos saber se o fluido era um fluxo de detritos, com grandes quantidades de entulho lubrificado por água, ou um fluxo principalmente de água com menos material."

A equipa pretende conduzir o Opportunity até à base da vala, no chão da cratera. O segundo objetivo da missão estendida é comparar rochas dentro da Cratera Endeavour com o tipo dominante de rocha que o Opportunity examinou nas planícies antes de alcançar a Endeavour.

"Podemos descobrir que as rochas ricas em sulfato que vemos fora da cratera não são as mesmas lá dentro," comenta Squyres. "Acreditamos que estas rochas ricas em sulfato se formaram a partir de um processo relacionado com água, e a água desce declives. O ambiente molhado no interior de cratera poderá ter sido diferente do exterior na planície - talvez em termos cronológicos, talvez em termos químicos."

A equipa do rover irá enfrentar desafios para manter o Opportunity ativo por mais dois anos. A maioria dos mecanismos de bordo ainda funcionam bem, mas os motores e outros componentes há muito que superaram o seu tempo de vida útil. O gêmeo do Opportunity, Spirit, perdeu o uso de duas das suas seis rodas antes de sucumbir ao frio do seu quarto inverno marciano em 2010. O Opportunity irá enfrentar o seu oitavo inverno marciano em 2017. O uso da memória "flash" não-volátil do Opportunity, que permite a gravação de dados durante a noite, foi interrompido no ano passado, de modo que os resultados de cada dia de observações e medições têm que ser transmitidos naquele dia ou são perdidos.

Na última missão estendida de dois anos que terminou o mês passado, o Opportunity explorou a área "Marathon Valley" da orla ocidental da Endeavour, documentando o contexto geológico dos minerais relacionados com água que haviam sido aí mapeados a partir de órbita. O mês passado, o rover atravessou "Lewis and Clark Gap," um ponto baixo na parede que separa Marathon Balley de Bitterroot Valley. Um panorama a cores recentemente obtido pelo rover mostra "Wharton Ridge", que se estende para leste a partir da lacuna.

Esta semana que passou, o Opportunity investigou exposições rochosas perto de "Spirit Mound," uma característica proeminente perto da extremidade oriental de Bitterroot Valley. O terceiro objetivo científico principal da nossa extensão é encontrar e examinar rochas de uma camada geológica presente antes do impacto que escavou a Cratera Endeavour. A equipa científica ainda não determinou se a área alvo fornece rochas assim tão antigas.


Esta cena captada pelo rover Opportunity mostra "Wharton Ridge", que forma parte da parede sul de "Marathon Valley", na orla da Cratera Endeavour. O nome desta formação honra o astrobiólogo Robert A. Wharton (1951-2012). A cena mostra cores melhoradas para tornar mais facilmente visíveis diferenças nos materiais à superfície.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona



Esta cena fotografada no dia 21 de setembro de 2016 pela câmara Pancam do rover Opportunity mostra "Spirit Mound", com o chão da Cratera Endeavour por trás. O pequeno monte encontra-se perto do limite este de "Bitterroot Valley" na orla oeste da cratera, e a imagem está virada para este.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona



Esta cena fotografada no dia 21 de setembro de 2016 pela câmara Pancam do rover Opportunity mostra "Spirit Mound", com o chão da Cratera Endeavour por trás. O pequeno monte encontra-se perto do limite este de "Bitterroot Valley" na orla oeste da cratera, e a imagem está virada para este.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona


Este mapa mostra parte da orla ocidental da Cratera Endeavour que inclui a área "Marathon Valley" investigada intensamente pelo rover Opportunity em 2015 e 2016, e uma vala esculpida por líquido que é o destino da missão (para sul).
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Universidade Estatal do Arizona

FONTE: http://www.ccvalg.pt/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…