Pular para o conteúdo principal

Observatório flagra retrato da agonia de um sistema estelar


Visão geral da região onde está o sistema estelar binário, com destaque para a imagem do disco de material em torno dele captada em detalhes inéditos pelos astrônomos do Observatório Europeu do Sul - ESO

À medida que chegam ao fim das suas vidas, muitas estrelas passam por uma fase conhecida como gigante vermelha, em que “incham” e expelem suas camadas externas, criando enormes e coloridas nuvens de material no seu entorno. De início, no entanto, essas estruturas muito se assemelham aos tênues discos de poeira e gás comumente vistos em volta de estrelas jovens, que eventualmente poderão dar origem a planetas. Mas enquanto vários desses discos de formação planetária já foram observados em astros jovens próximos o bastante de nós para serem estudados a fundo, não há estrelas velhas o bastante e nesse estágio particular de sua evolução na nossa vizinhança cósmica para obter imagens detalhadas do começo da formação das nuvens ao redor delas.

Diante desta dificuldade para comparar estes dois tipos de estruturas tão parecidas, mas que surgem em fases tão díspares na vida das estrelas, astrônomos usaram o poder combinado dos quatro grandes telescópios que fazem parte do VLT, do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, para observar em detalhes inéditos o início dessa agonia em uma estrela distante. Seu alvo foi o sistema binário designado IRAS 08544-4431, localizado a cerca de 4 mil anos-luz na direção da constelação de Vela. Como o nome indica, o sistema é composto por duas estrelas, uma delas uma gigante vermelha que acabou de ejetar para de seu material para formar um disco ao seu redor, enquanto a outra ainda está em um estágio anterior de evolução, queimando normalmente seu combustível nuclear na órbita da primeira.

- Ao combinarmos a luz dos vários telescópios com o interferômetro do VLT (VLTI), obtivemos uma imagem com uma nitidez estonteante, equivalente à que um telescópio (com um espelho principal) de 150 metros de diâmetro veria – explica Jacques Kluska, astrônomo da Universidade de Exeter, no Reino Unido, e integrante da equipe responsável pelas observações. - Esta resolução é tão alta que, a título de comparação, poderíamos determinar o tamanho e formato de uma moeda de um euro vista de uma distância de 2 mil quilômetros.

E foi justamente graças à grande nitidez proporcionada pelo VLTI, além do uso novas técnicas de imageamento que permitiram “remover” o ofuscante brilho das estrelas centrais do sistema binário para realçar o disco de material no seu entorno, que os astrônomos puderam dissecar pela primeira vez a construção inicial desse tipo de estrutura no IRAS 08544-4431. Na imagem, o disco se destaca, com sua parte interna correspondendo muito bem ao que seria esperado, com parte da poeira e gás mais próxima das estrelas sendo desintegrada pela intensa radiação.

- Mas também ficamos surpresos em encontrar um brilho mais tênue que provavelmente está vindo de um disco de acreção em torno da estrela companheira (da gigante vermelha) – destaca Michel Hillen, líder do estudo e principal autor de artigo sobre a observação, a ser publicado no periódico científico “Astronomy & Astrophysics”. - Sabíamos que era uma estrela dupla, mas não esperávamos ver diretamente a companheira.

Nas análises feitas até agora, os astrônomos consideraram o disco em torno da estrela velha de fato muito similar aos discos de formação planetária encontrados à volta de estrelas jovens. Segundo eles, ainda não se sabe se este disco poderá dar origem a uma eventual segunda geração de planetas no sistema binário, mas a possibilidade é intrigante.

- Nossas observações e modelagens abrem uma nova janela para o estudo da física destes discos, assim como a evolução estelar em sistemas binários – acrescenta Hans Van Winckel, também integrante da equipe de astrônomos que fez o estudo. - Pela primeira vez, as complexas interações entre estrelas de um sistema binário apertado e seu ambiente poeirento puderam ser resolvidas tanto no espaço quanto no tempo.

FONTE: O GLOBO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…