Pular para o conteúdo principal

Rússia e Japão projetam vidro metálico


Um grupo de cientistas russos e nipônicos está projetando o “material do futuro”, ou seja, o vidro metálico (metallic glass), chamado ainda de metal amorfo que, devido às suas caraterísticas peculiares, se designa também de “material de nova geração”.

Trata-se de um material homogêneo amorfo, baseado em ligas metálicas sem estrutura cristalina. Tais materiais não têm nada a ver com o vidro tradicional transparente. O nome foi dado por analogia com o vidro que também não possui estrutura cristalina.
O vidro metálico foi inventado em meados do século passado, mas o boom de investigações se iniciou no limiar dos séculos XX e XXI nos EUA, URSS, Europa, Japão e China. O interesse nessa área se deve a um amplo espetro de suas caraterísticas. O vidro metálico é muito mais resistente do que os materiais tradicionais, se destacando ainda por uma elevada resistência corrosiva – não se oxida sob ação ambiental. Além disso, o material possui um baixo patamar de desgaste.
O vidro metálico se usa numa série inteira de ramos industriais apesar de duas deficiências substanciais – uma baixa plasticidade e um elevado preço de custo. O chefe da Cadeira de Metais Não-Ferrosos da Universidade Nacional de Pesquisas Tecnológicas, Alexei Solonin, deu a conhecer as principais metas a alcançar nessa etapa por cientistas da Rússia e do Japão:
“Na nossa Universidade, conseguirmos formar uma equipe jovem, encarregada de projetar novos materiais amorfos e compósitos a partir do vidro metálico. Estes materiais tinham sido criados há já muito tempo, mas hoje em dia, o seu emprego tem sido limitado por sua dimensão.
Atualmente, dispomos de fitas finas ou de granulas de décima parte do milímetro. Por isso, estamos trabalhando sobre a criação de vidros metálicos massivos, isto é, de materiais, cuja espessura não supere 5 milímetros.
Outro “ponto fraco” é a sua fragilidade apesar da elevada resistência. Nisso não há nada de estranhar: o vidro de janela comum também é frágil.
O nosso objetivo é elevar a sua plasticidade mediante compósitos. Mais uma tarefa consiste em diminuir as despesas relacionadas com a produção do vidro metálico. A maior parte de tais materiais foi elaborada com base em paládio ou zircônio, que são os materiais caros. Estamos reduzindo o preço de custo, passando a utilizar outros elementos básicos – titânio, ferro, cobalto e magnésio. Esse último atribui ao vidro certas vantagens, aumentando características mecânicas e diminuindo o peso…”
O vidro metálico poderá ser usado nos setores aeroespacial, automobilístico, electrônico, micromecânico, inclusive na produção de relógios, smartphones, micromotores, transformadores e outros dispositivos que requerem um baixo nível de desgaste e alta qualidade da superfície.
Em função da resistência corrosiva, o vidro metálico de titânio poderá ser utilizado como implante na medicina, assim como na fabricação de instrumentos cirúrgicos. No setor de esportes, será possível o seu uso para a produção de raquetas de tênis e tacos de golfe.
Se pode constatar que os gigantescos esforços empreendidos pelo grupo de 30 cientistas estão sendo concentrados agora na criação de uma classe de materiais híbridos, combinando o vidro metálico com outros elementos, por exemplo, polímeros para proporcionar sinergia das suas caraterísticas. O projeto que irá durar dois anos é dirigido por Dmitri Luzgin, formado pela Universidade Nacional de Pesquisas Tecnológicas, professor catedrático da Universidade de Tohoku, no Japão.

FONTE: VOZ DA RUSSIA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…