Pular para o conteúdo principal

Em novo livro, brasileiras resgatam histórias de mulheres matemáticas


KATHERINE COLEMAN GOBLE JOHNSON, MATEMÁTICA QUE TRABALHOU NA NASA. IMAGEM DE 1966 (FOTO: NASA; RESTORED BY ADAM CUERDEN/WIKIPEDIA COMMONS)

Percebendo a falta de representavidade de mulheres na matemática, três pesquisadoras brasileiras escreveram um livro para contar a trajetória de nomes importantes para o setor. A obra A História de Hipátia e de Muitas Outras Matemáticas, publicada pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), acaba de ser lançada e pode ser acessada digitalmente de maneira gratuita.

As autoras são Cecília de Souza Fernandez e Ana Maria Luz Fassarella do Amaral, professoras do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade Federal Fluminense (UFF), além de Isabela Vasconcellos Viana, graduada em matemática pela UFF.

Segundo Fassarella, o livro é resultado da extensão do projeto Mulheres na Matemática da UFF, um portal dedicado a apresentar dados sobre a participação feminina na área, criado em 2017. "Percebemos que tínhamos um material rico que poderia servir de referência para meninas", ela conta à GALILEU. "Muitas jovens interessadas na carreira não a seguem por falta de identificação e de conhecimento de que há mulheres na profissão. Por isso, é importante mostrar modelos."

Para a obra, foram escolhidas 15 mulheres: Hipátia de Alexandria, Maria Gaetana de Agnesi, Marie-Sophie Germain, Sofia Vasilevna Korvin-Krukovsky, Amalie Emmy Noether, Mary Lucy Cartwrigh, Marie-Louise Dubreil Jacoti, Marjorie Lee Browne, Maria Laura Mouzinho Leite, Katherine Coleman Goble Johnson, Julia Bowman Robinson, Mary Ellen Rudin, Marina Ratner, Laure Saint-Raymond e Maryam Mirzakhani.

As histórias são contadas de forma cronológica: começa com Hipátia, pois ela é considerada a primeira matemática do mundo; e termina com Maryam Mirzakhani, que em 2014 tornou-se a primeira mulher a ganhar a Medalha Fields, um dos principais reconhecimentos para os matemáticos.

Fassarella afirma que uma das surpresas no desenvolvimento do livro foi conhecer as dificuldades que essas mulheres enfrentaram. "Muitas não conseguiram ser professoras só porque eram mulheres", ela diz. "É preciso conhecer a luta e história das mulheres, que até hoje lutam pela igualdade na matemática."

No projeto Mulheres na Matemática, estudantes da UFF ajudaram a escrever os perfis das matemáticas retratadas na obra. Neste livro, as três pesquisadoras atuaram em conjunto para atualizar as descrições e inserir novos dados. De acordo com Fassarella, a obra está disponível online para que possa atingir a maior quantidade de pessoas. Ela ainda espera que o material possa ser usado nas aulas de matemática das escolas brasileiras.

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…