Pular para o conteúdo principal

Múmia egípcia de 2,5 mil anos é identificada em cidade do interior do Brasil


CRÂNIO MUMIFICADO PERTENCEU A MULHER QUE VIVEU HÁ APROXIMADAMENTE 2,5 MIL ANOS (FOTO: BRUNO TODESCHINI/DIVULGAÇÃO PUCRS)

Após incêndio no Museu Nacional, existem apenas duas peças do tipo no país

Por Giuliana Viggiano

Especialistas daPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) confirmaram a identidade de um crânio de múmia que chegou ao Brasil na década de 1950 e está no acervo de um pequeno museu de Cerro Largo, cidade gaúcha com população estimada em 14 mil habitantes. Apesar de pouco conhecida, é uma das duas únicas múmias egípcias restantes no Brasil.

Iret-Neferet, como foi nomeada, tinha pouco mais de 40 anos quando morreu, e viveu em algum momento entre o período Intermediário III (1070-712) e o início do Período Tardio (Saíta-Persa: 712-332 a.C.) do Egito.

A análise, divulgada na última semana, foi feita pelo método de radiocarbono conhecido como Carbono 14, e afunilou o período de vida da mulher para entre 768-476 a.C. — ou seja, entre 2.495 e 2.787 anos atrás. Acredita-se que essa tenha sido a primeira múmia a ser estudada dessa forma no Brasil.

Embora tenha chegado ao Brasil nos anos 1950, o item raro só começou a ser estudado com atenção em 2017. Édison Hüttner, coordenador do Grupo de Estudo Identidade Afro-Egípcias da PUCRS, foi quem resolveu pesquisar o objeto após alguns anos vivendo na Europa. "Percebi a potencialidade do material", contou em entrevista à GALILEU.


CRÂNIO TERIA SIDO TRAZIDO PARA O BRASIL NA DÉCADA DE 1950 POR UM EGÍPCIO (FOTO: BRUNO TODESCHINI/DIVULGAÇÃO PUCRS)

Segundo o especialista, não se sabe exatamente a origem da múmia, mas histórias que vêm sendo contadas há décadas indicam que o crânio chegou ao Brasil por meio de um egípcio. A cabeça acabou sendo deixada de herança para um advogado brasileiro, que a doou para os organizadores do Museu 25 de Julho, da cidade de Cerro Largo (RS), a 499 quilômetros de Porto Alegre.

Por dentro

Hüttner e sua equipe também realizaram uma tomografia na múmia, o que lhes permitiu constatar que seu olho é composto de uma rocha carbonática de composição calcítica: "Comparamos [as imagens] com as de outras múmias e descobrimos que isso não é tão incomum, o que foi importante para nós", destaca.


ESSA FOI A PRIMEIRA MÚMIA A SER ESTUDADA COM AUXÍLIO DE RADIOCARBONO NO BRASIL (FOTO: BRUNO TODESCHINI/DIVULGAÇÃO PUCRS)

A cabeça também apresenta uma perfuração sobre o osso etmoide (na altura do nariz), que foi realizada para a remoção do cérebro, procedimento próprio da mumificação. "Mas geralmente o furo não é tão demarcado", relatou o especialista. Além disso, foram encontradas 90 faixas de linho envolvendo o crânio mumificado, além de seda e fios de cabelo.

Raridade

Hoje só se tem conhecimento de mais um exemplar de múmia egípcia no Brasil além de Iret-Neferet: Tothmea, que chegou dos Estados Unidos em 1995 e hoje está no Museu Egípcio Rosa Cruz de Curitiba (PR).

Outros objetos do tipo foram trazidos para o país pelos imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II, mas foram destruídos ou perdidos no incêndio que ocorreu no fim de 2018, no Museu Nacional (RJ).

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…