Pular para o conteúdo principal

NASA enviará organismos vivos ao espaço profundo em 2020



Por Patrícia Gnipper

Pela primeira vez desde as missões Apollo, a NASA enviará organismos vivos ao espaço profundo em 2020. Uma pequena nave chamada BioSentinel está sendo desenvolvida, capaz de transportar células de levedura ao espaço em uma órbita ao redor do Sol, para ajudar os cientistas a entender ainda melhor os efeitos da radiação em organismos vivos para além da bolha magnética que protege o ambiente ao redor da Terra.

A BioSentinel será um dos equipamentos voando a bordo da missão Artemis 1, com previsão de lançamento para meados de 2020 e preparando o terreno para o voo da Artemis de 2024, quando voltaremos presencialmente à superfície da Lua. Ou seja: a missão de 2020 será a primeira em quase cinquenta anos a enviar organismos vivos ao espaço profundo, para além da órbita baixa da Terra (onde se encontram os astronautas da Estação Espacial Internacional-ISS), pois desde a missão Apollo 17, de 1972, isso não acontece.

Mas enquanto a Apollo 17 teve duração de menos de duas semanas, a BioSentinel permanecerá coletando dados por nove a doze meses, permitindo uma maior compreensão dos efeitos a longo prazo que a radiação pode causar no DNA. O satélite de apenas 14 quilos transportará duas variedades diferentes da levedura Saccharomyces cerevisiae — o tipo "selvagem" normal, bastante resistente à radiação, e um tipo mutante, muito mais sensível por não ter a capacidade de reparar seu DNA como o outro tipo.

Enquanto as amostras estiverem no espaço, os cientistas da missão monitorarão o crescimento e as atividades de ambas as variedades, e o mesmo experimento será feito com cargas idênticas enviadas à ISS, onde os níveis de radiação são muito mais baixos. Dessa maneira, a equipe poderá comparar os resultados de ambos os experimentos, enquanto cientistas também acompanharão o crescimento das mesmas variedades de leveduras aqui na Terra.

Em conjunto, todos os dados (do experimento no espaço profundo, na ISS e na Terra) ajudarão na identificação de quais efeitos são de fato resultantes da radiação, visando as próximas missões em que astronautas explorarão o espaço novamente, a começar pela Lua e, no futuro, chegando a Marte. Quanto à escolha de tais leveduras para o experimento, a NASA explica: "É importante ressaltar que o processo de reparo de danos no DNA da levedura é muito semelhante ao dos humanos".


A placa da BioSentinel que será usada para estudar o impacto da radiação espacial nas amostras de leveduras (Foto: NASA)

A BioSentinel ainda está sendo montada, com previsão de estar completamente concluída no final de outubro deste ano, para ser lançada no ano que vem. Tudo dando certo, a missão Artemis 2 será realizada em 2023, levando uma tripulação de quatro astronautas para viajar ao redor da Lua, antecipando a missão do ano seguinte, que levará a primeira mulher à superfície lunar.

FONTE: NASA, Space.com via canaltech.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…