Pular para o conteúdo principal

Na Nasa, paraibana vai pesquisar planetas fora do Sistema Solar


Raíssa já visitou o Cerro Paranal, no Chile, onde estão instalados telescópios do Observatório Europeu do Sul (ESO) (Foto: Raíssa Estrela/Arquivo pessoal)

Raíssa Estrela começou a fazer ecologia, mas, após conhecer um professor, decidiu mudar de curso.

Com o sobrenome “Estrela”, a paraibana Raíssa, de 29 anos, vai cursar parte do doutorado na NASA (National Aeronautics and Space Administration), nos Estados Unidos. O tema da pesquisa dela é a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar. E embora essa seja uma grande oportunidade, não era a ideia inicial de Raíssa ao entrar para a universidade.

Nascida em João Pessoa, ela foi para Natal, capital do Rio Grande do Norte, com o objetivo de cursar ecologia na Universidade Federal. “Foi aí que eu conheci o meu futuro orientador durante a física, que era o Renan Medeiros. Ele já trabalhava com astrofísica e me ofereceu uma bolsa de iniciação científica nessa área”, disse.

Segundo a pesquisadora, esse encontro foi um impulso para que ela fosse para uma área que sempre a interessou. “Eu sempre quis fazer astrofísica, só que eu tinha um pouco de receio, então eu acabei começando em outra área que eu também gostava”, comentou.

Ela explicou que, embora a Universidade da Paraíba (UFPB) tenha o curso de graduação em física, a área que escolheu não está entre os campos de pesquisa da instituição. "Em Natal tinha a pesquisa em astrofísica, que era a pesquisa que eu queria continuar exercendo. Lá em Natal tem um grupo forte dessa área. Na UFPB, a pesquisa é em cosmologia e outras áreas da física", explicou.


Raíssa Estrela tem como projeto do doutorado uma pesquisa sobre a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar (Foto: Raíssa Estrela/Arquivo pessoal)

A NASA

A pesquisa de doutorado de Raíssa é voltada para investigar a atmosfera de planetas fora do Sistema Solar e, assim, tentar compreender as consequências desses aspectos para as condições de habitação desses planetas.

“É estudar a composição da atmosfera desses planetas, para ver do que eles são formados, quais tipos de moléculas que têm lá, se tem oxigênio, se tem metano. Então tudo que a gente vê vai dizer se esse planeta pode ter vida ou não”, comentou.

“O único modo que a gente tem, hoje em dia, de saber sobre a estrutura interna de um planeta, fora do nosso Sistema Solar, é vendo a sua atmosfera”, pontuou.

Com essa temática em mente, Raíssa começou a analisar quais eram as possíveis instituições para fazer parte do doutorado fora do Brasil. “Eu fui em busca de um lugar e um dos lugares foi a NASA. Porque lá tem pesquisadores que estão dentro dessa área que eu estudo, são pesquisadores muito bons. Então eu entrei em contato com eles e a gente construiu um projeto juntos”, afirmou.

Apesar disso, segundo ela, os requisitos para ser aceita na NASA começaram a ser formados ainda na graduação. “Eu já comecei me iniciando na pesquisa em ciências, então durante toda essa minha carreira acadêmica eu fui construindo de forma a ter artigos, a ter publicações que aumentassem minha bagagem”, frisou.

“Tudo isso fez com que eu tivesse pontos positivos para que a NASA conseguisse me aceitar, hoje em dia, como estudante”, contou.

Embora tenha o apoio da instituição que concede a bolsa e de outros pesquisadores, Raíssa ressaltou que a trajetória para chegar a um doutorado na NASA não foi fácil.

“É um caminho que exige dedicação, muito estudo e vontade. Temos que gostar mesmo daquilo que a gente está fazendo”, disse.

FONTE: G1.COM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…