Pular para o conteúdo principal

Controle seus aparelhos mexendo os dedos - sem tocar em nada

O protótipo ainda chama a atenção, mas uma versão final poderá ser tão discreta quanto um relógio. [Imagem: Cheng Zhang et al. (2018)]

Interface de dedo

As telas e, muito antes delas, os teclados, vêm sendo controlados com os dedos há décadas.

Mas que tal continuar usando seus dedos para controlar seus aplicativos e aparelhos sem precisar tocar em nada?

Esta é a proposta de Cheng Zhang, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA.

Usando chiados inaudíveis emitidos por um anel e recebidos por uma pulseira, a interface que Zhang criou é capaz de reconhecer 22 gestos de dedo diferentes, que podem ser programados para vários comandos - incluindo uma interface de teclado T9, um conjunto de números ou comandos de aplicativos, como tocar ou parar a música.

"Algumas interações não são socialmente apropriadas," disse Zhang. "Um aparelho de vestir está sempre em você, então você deve ter a capacidade de interagir através desse aparelho a qualquer momento, de forma apropriada e discreta. Enquanto estamos falando, eu ainda posso dar uma resposta rápida que não interrompe a nossa interação."

O sistema também é um passo preliminar para uma interface capaz de reconhecer e traduzir a linguagem de sinais, que Zhang disse planejar construir no futuro, justificando que já existem técnicas que utilizam câmeras para reconhecer a linguagem de sinais, mas isso pode ser intrusivo e é improvável que alguém carregue o aparato todo consigo em condições normais.

Padrões sonoros

O sistema, batizado de FingerPing, usa o modo como os sinais sonoros viajam através da estrutura da mão, o que dispensa o uso de uma luva. As ondas sonoras viajam através da mão seguindo padrões específicos, mas esses padrões são alterados pela maneira como a mão é colocada. Utilizando essas poses, o usuário pode obter até 22 comandos pré-programados.

Os gestos são discretos, como tocar a ponta de um dedo ou colocar a mão em gestos clássicos "1", "2" e "3".

"O receptor reconhece essas pequenas diferenças," contou Zhang. "O som injetado no polegar percorrerá diferentes caminhos dentro do corpo com diferentes posturas da mão. Por exemplo, quando sua mão está aberta, há apenas um caminho direto do polegar até o pulso. Sempre que você faz um gesto você fecha um loop e o som terá um caminho diferente e isso formará uma assinatura única."

O pesquisador reforça que esta interface de dedos é apenas uma prova de conceito para uma técnica que ele pretende expandir e aprimorar.

Bibliografia:

FingerPing: Recognizing Fine-grained Hand Poses Using Active Acoustic On-body Sensing
Cheng Zhang, Qiuyue Xue, Anandghan Waghmare, Ruichen Meng, Sumeet Jain, Yizeng Han, Xinyu Li, Kenneth Cunefare, Thomas Ploetz, Thad Starner, Omer Inan, Gregory D. Abowd
Proceedings of the 2018 CHI Conference on Human Factors in Computing Systems
Vol.: 1, 437

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…