Pular para o conteúdo principal

NASA captura imagem “impossível” de objeto do Cinturão de Kuiper a bilhões de quilômetros



Daqui a cerca de um ano e meio, a espaçonave New Horizons vai passar por um distante objeto do Cinturão de Kuiper chamado de 2014 MU69. Essa relíquia rochosa do Sistema Solar antigo, que está localizada a cerca de seis bilhões de quilômetros distância, acabou de passar em frente a uma estrela distante, resultando em um dos eclipses mais extraordinários já capturados por cientistas.

Gravar esse eclipse, ou ocultação, como é mais conhecido formalmente, não foi um acidente. Os cientistas da New Horizons que lideraram essa missão sabiam que o MU69, um objeto no Cinturão de Kuiper com cerca de 32,18 quilômetros a 48,28 quilômetros de diâmetro, passaria na frente de uma estrela sem nome durante as primeiras horas do dia 17 de julho. Mark Buie, astrônomo do Southwest Research Institute (SwRI) em Boulder, no Colorado, liderou uma equipe de 60 observadores que ajudaram a implantar duas dúzias de telescópios móveis em uma região remota de Chubut e Santa Cruz, na Argentina. Os cientistas esperavam detectar a sombra do MU69 enquanto ele se movia em frente à estrela — um evento que duraria apenas 200 milissegundos.

Incrivelmente, os astrônomos conseguiram capturar não uma, mas cinco ocultações do MU69.


Imagem: NASA/JHUAPL/SwRI

“Foi a mais histórica ocultação da face da Terra”, apontou o cientista planetário da NASA Jim Green, em um comunicado. “Vocês tiveram sucesso e fizeram isso acontecer.”

O eclipse não durou muito tempo, e a resolução foi excepcionalmente baixa, mas os pesquisadores agora vão passar pelos dados em um esforço para aprender mais sobre o tamanho, o formato, a órbita e o ambiente em torno do MU69. Em 1º de janeiro de 2019, ele vai se tornar o objeto mais distante já visitado por uma espaçonave quando a New Horizons passar por ele brevemente. Esse antigo objeto é pouco compreendido devido ao seu tamanho relativamente pequeno, sua matiz escura e sua distância extrema. No fim do ano passado, observações feitas pelo Telescópio Espacial Hubble sugeriram que o MU69 é vermelho, e possivelmente ainda mais vermelho do que Plutão — o planeta anão visitado pela New Horizons em 15 de julho de 2015.


Vai contando, foram cinco ocultações, assinala Marc Buie, líder da missão (Imagem: NASA/JHUAPL/SwRI/Adriana Ocampo)

Astrônomos medem e detectam exoplanetas distantes passando em frente a suas estrelas anfitriãs o tempo todo (o chamado método de trânsito), mas pegar essa ocultação no ato — um evento envolvendo um objeto muito pequeno do Sistema Solar em uma distância extrema — é nada menos que notável.

E, de fato, Buie disse que as ocultações feitas mais cedo nesta semana não teriam sido possíveis sem a ajuda de cientistas, governantes e moradores argentinos — muitos dos quais foram além de seu dever. Na noite da ocultação, uma grande rodovia nacional foi fechada por duas horas para manter os faróis dos carros afastados, e as luzes da rua foram desligadas para reduzir a iluminação. E pelo fato de os ventos ferozes terem sido um problema, alguns voluntários até estacionaram seus caminhões perto dos observatórios para servir como quebra-ventos.

“A comunidade de Comodoro Rivadavia se juntou e fez coisas incríveis para nós.” Buie disse: “Eu tenho chamado as pessoas que nos ajudaram, o nosso 12º jogador. Os moradores locais eram um grande jogador da equipe”.

Vai levar algumas semanas para cientistas analisarem os novos dados, então com sorte teremos mais a dizer sobre o formato e o tamanho do MU69 em pouco tempo.

[NASA]

Imagem do topo: NASA/JHUAPL/SwRI

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…