Pular para o conteúdo principal

Prêmio milionário: nova corrida à Lua deve começar em 2017


Robô israelense SpaceIl, que chegará à Lua através de um foguete Falcon 9.

A meta é transportar um veículo até a Lua e em seguida dar uma voltinha de 500 metros em nosso satélite. Quem conseguir tal feito levará um prêmio de 20 milhões de dólares oferecido pela gigante Google. Quem vai ganhar?

Embora diversos participantes estejam inscritos, apenas dois anunciaram nesta semana que já assinaram um contrato de lançamento, provavelmente a etapa mais difícil da missão. As outras 14 equipes, incluindo a brasileira SpaceMeta, têm até o final de 2016 para contratar o veículo lançador.

A Competição
Batizado de Google Lunar XPrize, a competição tem como objetivo premiar as equipes que conseguirem pousar um artefato na Lua, locomove-lo por 500 metros e transmitir a partir do solo lunar imagens e vídeos em alta definição.

A primeira equipe que conseguir realizar o feito receberá 20 milhões de dólares. A segunda receberá 5 milhões. Outros prêmios também estão previstos, como "passar uma noite no local de pouso da Apolo XI".

Para conquistar o prêmio as equipes precisam provar que 90% dos recursos vieram da iniciativa privada.

A data limite para concorrer ao X-Prize foi inicialmente marcada para dezembro de 2012. Como ninguém conseguiu, foi remarcada para 2014 e finalmente para 2016.

Corrida em 2017 - Cabeça a cabeça
De todos os participantes inscritos, as que mais levam vantagem nesse momento são a americana Moon Express e a israelense SpaceIl. Ambas assinaram contratos de lançamento para 2017 e considerando que a diferença do valor do prêmio entre o primeiro e segundo colocado é de 15 milhões de dólares, não será nada difícil termos uma sensacional corrida disputada cabeça a cabeça.


O robô americano Moon Express será lançado por um foguete Rocket Lab USA, que até hoje nunca foi lançado.

A Moon Express deverá ser lançada à Lua por meio do desconhecido foguete Rocket Lab USA, que até hoje nunca foi lançado, mas que tem a vantagem de ser extremamente barato, de acordo com a empresa. Se der certo, após pousar na Lua a Moon Express caminhará pela superfície "saltando" por meio de foguetes propulsores.

A SpaceIL não poupou dinheiro e pretende atingir seu objetivo através do poderoso foguete Falcon 9, da empresa americana SpaceX. Seu robô também andará pela Lua através de saltos.

Ambas as empresas comprovaram legalmente seus contratos com as empresas lançadoras e receberam o carimbo oficial de aprovação.


Brasil - SpaceMeta
A equipe brasileira SpaceMeta também está inscrita no Google Lunar XPrize, mas até agora não conseguiu carona em qualquer veiculo lançador, a etapa mais difícil da missão.

Em junho de 2014, a equipe anunciou a assinatura de um contrato com a binacional Alcantara Cyclone Systems (ACS), que lançaria o veículo "Solitário" a partir da base de Alcântara, no Maranhão. Em julho de 2015, no entanto, a cooperação entre Brasil e Ucrânia foi cancelada pelo governo brasileiro e nem a base de lançamento foi construída.

FONTE: http://www.apolo11.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…