Pular para o conteúdo principal

Dois planetas habitáveis podem existir no mesmo sistema


Os planetas Kepler-36b e 36c não são habitáveis, mas serviram de base para o estudo

Baseando-se em achado do telescópio espacial Kepler, equipe de astrônomos revela a possibilidade da existência de sistemas solares ainda mais favoráveis à vida que o nosso

A existência de vida na Terra é creditada a diversos fatores, como a distância correta de nosso mundo até o Sol, permitindo a existência de água líquida. Além disso, a Lua estabiliza a rotação do planeta, mantendo estável o eixo de rotação a 23,5º em relação ao plano da órbita e estações do ano igualmente estáveis. Estudos recentes, entretanto, sugerem que a presença de nosso satélite não é essencial e a mudança de rotação do eixo terrestre pela influência de nossos mundos vizinhos afetaria a inclinação em escala muito lenta, da ordem de bilhões de anos. Finalmente, Marte está no limite da zona habitável do Sol e se fosse um pouco maior poderia ter retido uma atmosfera mais densa e ter água na superfície.

Em junho de 2012 foram encontrados, pelo telescópio Kepler, os planetas Kepler-36b e 36c ao redor de seu sol, que se situa na constelação Cygnus, a 1.200 anos-luz da Terra. Com respectivamente 1,5 e 3,7 vezes o tamanho da Terra, os dois mundos têm suas órbitas separadas por somente cerca de dois milhões de quilômetros. Baseando-se nesse achado a equipe liderada pelo astrõnomo Jason Steffen, da Universidade de Nevada, chegou à conclusão de que em outros sistemas com semelhante disposição dois mundos poderiam estar na região habitável e em ambos a vida poderia surgir. Conforme Steffen explica: "Se esse sistema tivesse a escala de nosso Sistema Solar, dois planetas poderiam estar a um décimo de unidade astronômica de distância em sua aproximação máxima, somente 40 vezes a distância entre a Terra e a Lua".

Para verificar a viabilidade desses sistemas multi-habitáveis, a equipe realizou diversas simulações em computador e descobriu que, em planetas rochosos similares à Terra, as condições climáticas seriam estáveis. A obliquidade de tais mundos alienígenas não seria afetada pela proximidade e seu comportamento seria similar aos planetas de nosso Sistema Solar. Além disso, cada mundo poderia semear o vizinho com as sementes da vida graças a impactos de meteoros e asteroides. São conhecidos cerca de 100 meteoritos de origem marciana na Terra e caso seja descoberta vida em nosso mundo vizinho, e esta se revelar similar à nossa, já se tem por certo que será intenso o debate se somos descendentes dos marcianos ou o contrário. Além disso, a viagem entre os planetas, como exemplifica o famoso caso do meteorito ALH 84001, duraria milhões de anos.

POSSIBILIDADE DE MAIOR DIVERSIDADE BIOLÓGICA QUE NA TERRA

No caso de sistemas multi-habitáveis, a viagem de bactérias a bordo de meteoros seria muito mais curta e a troca de biodiversidade ainda mais intensa. Abre-se, assim, a espetacular possibilidade de que a vida nesses planetas alienígenas ser ainda mais diversa do que a que conhecemos na Terra. Além disso, a possibilidade de a vida sobreviver a inevitáveis cataclismos cósmicos seria bem maior que a de nosso sistema. O próprio Jason Steffen levantou ainda as vantagens apresentadas diante do surgimento de vida inteligente nesses sistemas: "Em sistemas multi-habitáveis a vida, até mesmo inteligente, poderia existir ao mesmo tempo e no mesmo lugar. Pode-se imaginar que, caso civilizações surjam em ambos os planetas, eles poderiam comunicar-se entre si por milhares de anos antes mesmo que se encontrem face a face. Sem dúvida é matéria para reflexão". As conclusões foram divulgadas no 3º Encontro de Sistemas Solares Extremos da Sociedade Astronômica Americana no início do mês, no Havaí, e serão publicadas no Astrophysical Journal.

FONTE: REVISTA UFO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…