Pular para o conteúdo principal

NASA estuda vento-bots para estudar Júpiter


Ilustração artística de um vento-bot colhendo dados sobre os céus de Júpiter.[Imagem: NASA/JPL-Caltech]

Vento-bots

Não parece ser possível pousar em planetas gigantes gasosos, como Júpiter ou Saturno - seria mais correto falar em afundar neles.

Mas isso não diminui a ansiedade por estudar o que ocorre nessas atmosferas extremas.

Uma das soluções anunciadas pela NASA, ainda sem data para lançamento, consiste no uso de balões robotizados, que poderão flutuar acima das nuvens de Júpiter, na parte menos agressiva daquele ambiente planetário.

Levadas pelo vento, essas sondas robóticas flutuantes - os engenheiros da NASA as chamam de vento-bots - poderiam estudar largas extensões do planeta a um custo bem mais baixo do que um robô como o Curiosity, que está estudando Marte.

Mergulho fatal

A ideia não é exatamente nova, uma vez que, em 1995, a sonda Galileo lançou uma sonda atmosférica em Júpiter, que desceu de pára-quedas. Mas ela sobreviveu apenas uma hora, antes de ser destruída pelo calor e pressão descomunais da atmosfera do planeta.

Daí a ideia de enviar balões, que poderão ficar a altitudes mais seguras. Esses balões poderão ser deixados ao sabor dos ventos, serem dirigíveis, com rotores próprios, ou usarem outros artifícios copiados da natureza.

"Uma semente de dente-de-leão é excelente em ficar suspensa no ar. Ela gira conforme cai, criando sustentação, o que permite que ela flutue por um longo tempo, levada pelo vento. Nós iremos explorar esse efeito no projeto dos nossos vento-bots," disse Adrian Stoica, líder da equipe que desenvolverá o conceito - Stoica também já convenceu a NASA a investir em estudos sobre veículos transformers para exploração espacial.

Energia da turbulência

Se os vento-bots ficarão no ar por muito tempo, eles precisarão de energia - e a energia solar não é uma opção em Júpiter porque ela poderá ficar longos períodos no lado noturno do planeta.

As propostas incluem gerar eletricidade explorando os próprios ventos, além de variações da temperatura ambiente e até mesmo os campos magnéticos de Júpiter. Isso exigirá um balão com faces, já que um desenho esférico ou cilíndrico dificultaria o aproveitamento da turbulência dos ventos.

A equipe está dando os primeiros passos caracterizando os ventos entre as nuvens do planeta para entender onde seria melhor soltar os balões robóticos e determinar os detalhes técnicos de seu projeto.

"Há muitas coisas que ainda não sabemos," disse Stoica. "Por exemplo, um vento-bot deverá ter 10 ou 100 metros de diâmetro? Quanta sustentação precisaremos extrair dos ventos para manter o vento-bot estável?"

Para responder a essas e muitas outras perguntas, a equipe está começando a desenvolver um protótipo do balão robótico. A prioridade inicial dos estudos recairá sobre o aproveitamento da turbulência ao redor do robô, tanto para gerar energia, como para dirigi-lo adequadamente.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…