Pular para o conteúdo principal

Redes neurais artificiais podem sonhar acordadas – eis o que elas veem



Quando você busca por formas nas nuvens, frequentemente você encontra coisas que costuma ver no cotidiano: cães, pessoas, carros. E com “cérebros” artificiais acontece a mesma coisa. O Google chama esse fenômeno de “Inceptionism”, e nos dá uma boa ideia de quão avançadas as redes neurais artificiais realmente são.

Em um post feito em seu blog Google Research, a equipe de pesquisa de redes neurais artificiais do Google explicou como está fazendo para construir um tipo de sistema de visão computacional muito avançado que é capaz de identificar quando você está olhando para uma imagem de, digamos, uma laranja contra uma banana. O post completo é bem interessante e vale a pena ler por inteiro (ele está em inglês). Mas eis um resumo do que foi falado por lá.

Para começar, é bom saber um pouco sobre a estrutura de redes neurais. O Google explica como elas são feitas de camadas de neurônios artificiais, em muitos casos trinta de uma vez. Quando você envia uma foto através da rede, a primeira camada detecta informações de baixa importância, como as bordas da imagem. A camada seguinte pode preencher alumas informações sobre as formas em si, se aproximando um pouco mais do que é mostrado na imagem. “As últimas camadas montam tudo isso em uma interpretações completas – esses neurônios são ativados em resposta a coisas bastante complexas como prédios ou árvores,” explicam os engenheiros do Google.

O Google “treina” cada rede ao alimentá-las com toneladas de imagens – algumas vezes com foco em um tipo específico, como árvores ou animais. A equipe do Google descobriu que essas redes podem até gerar imagens de certos objetos se pedirem a elas:




Então o que acontece se você perguntar a uma única camada da rede para “melhorar” as coisas que ela detecta sobre uma certa imagem? Se, por exemplo, você pedir a uma camada encarregada das bordas da imagem para pegar aquela informação e reproduzir a imagem? Coisas estranhas começam a acontecer:




E a partir daqui tudo fica bem mais interessante. O Google pediu às camadas de neurônios de alto nível – as que identificam elementos específicos em imagens, não apenas formas e bordas – para construir o que eles detectam em uma imagem. Em um dos casos, eles alimentaram uma imagem de nuvens através de uma camada que já havia sido treinada para detectar animais em fotos:




De zoom na segunda imagem (clique aqui para ver em tamanho completo) e você verá o resultado da rede sonhando acordada com animais:




Sim. Essas são criaturas fantásticas criadas inteiramente por uma rede neural artificial que buscava animais em uma imagem de nuvens. O Google até criou o termo “Inceptionism” para isso.

E então a equipe foi um passo adiante: ela nos mostrou o que acontece quando uma rede é colocada em um loop infinito de feedback com uma imagem gerada por ela. Em outras palavras, se você perguntar para uma rede que é “especialista” em arcos arquitetônicos para criar uma imagem desses arcos – e então pedir para ela gerar mais com base nessa imagem – você consegue coiss que parecem criadas por M. C. Escher:




Ou então um Game of Thrones lisérgico:




Ou uma imagem que parece ter sido tirada dos livros Olho Mágico:




O Google chama isso de “sonho”. Sonhos criados por redes neurais artificiais.

Confira a galeria completa de sonhos “Inceptionism” criados por esses cérebros robóticos em fique impressionado.

FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…