Pular para o conteúdo principal

A Lua brilha mais que o Sol em raios gama


A lua em raios gama. Imagem: Colaboração NASA/DOE/Fermi LAT

Por Ryan F. Mandelbaum

A Lua é mais brilhante que o Sol, se você estiver medindo em raios gama.

A NASA publicou este interessante fato em um comunicado de imprensa na semana passada enquanto promovia a pesquisa dos físicos Mario Nicola Mazziotta e Francesco Loparco no Instituto Nacional de Física Nuclear na Itália, que fez observações usando o Telescópio Espacial de Raios Gama Fermi.

A radiação eletromagnética, o que chamamos de luz, viaja como uma onda. As ondas têm um comprimento (a distância entre os picos) e amplitude (a intensidade) característicos. A energia da luz é proporcional ao seu comprimento de onda, onde comprimentos de onda mais curtos significam energia mais alta. Nossos olhos só percebem uma pequena faixa da luz possível, o que chamamos de luz visível. Então, aos nossos olhos, a Lua parece um círculo branco, refletindo a luz visível do sol muito mais brilhante.

Mas há mais na Lua do que os olhos podem ver, literalmente. Partículas de alta energia produzidas em todo o universo a partir de estrelas explodindo ou dos buracos negros no centro das galáxias preenchem o espaço. Embora elas normalmente sejam bloqueadas por campos magnéticos, a Lua não possui campos magnéticos. As partículas atingem a superfície lunar, interagem com a matéria e produzem raios gama como resultado. Esses raios gama são visíveis através de detectores especiais, como o telescópio Fermi. Como os raios cósmicos atingem a Lua de todas as direções, a Lua de raios gama não mostra fases, como os crescentes que vemos na luz visível. Seu brilho varia baseado em mudanças cíclicas no campo magnético do Sol, de acordo com o comunicado da NASA.

A NASA aponta que a Lua apenas supera o Sol em raios gama em energias mais baixas, onde o campo magnético do Sol bloqueia os raios cósmicos. Partículas mais energéticas ainda penetram no campo magnético do Sol, interagem com os átomos e produzem raios gama. A NASA também menciona que compreender o ambiente de raios gama lunar é importante, já que estamos mais uma vez nos esforçando para enviar astronautas à Lua.

A imagem abaixo mostra a visão de Fermi da Lua ficando mais brilhante, uma vez que coleta mais raios gama.


Fermi-LAT coletando raios gama ao longo do tempo. Imagem: Colaboração NASA/DOE/Fermi LAT

Então, da próxima vez que você ouvir algum professor do ensino fundamental dizer que a Lua não emite brilho próprio, você pode dizer que, na verdade, ela emite sim.



FONTE: GIZMODO BRASIL - SpaceToday

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…