Pular para o conteúdo principal

10 palavras que significam coisas diferentes para os cientistas


Palavras comuns podem ter significados bem diferentes na física.
[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Linguagem da física

A física é um campo repleto de conceitos estranhos e termos especiais. A linguagem muitas vezes não consegue captar o que realmente está acontecendo dentro da matemática e das teorias.

E, para tornar as coisas ainda mais complicadas, a física reaproveitou várias palavras familiares - e deu-lhes novos significados.

De forma muito parecida com brasileiros em Portugal, pessoas de fora do reino da física podem se ver cercadas por um mar de palavras que soam familiares, mas que transmitem coisas completamente estranhas.

Não se preocupe! Este artigo, preparado pela equipe do Fermilab, nos EUA, está aqui para ajudar a guiá-lo nessa linguagem da física, com uma lista de palavras que adquirem um novo significado quando faladas por físicos.

Canibalismo, estrangulamento e sufocação

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Essas palavras horríveis assumem um novo significado, um pouco mais gentil, no jargão da astrofísica. Elas são maneiras diferentes pelas quais a forma de uma galáxia - ou a taxa de formação de estrelas - pode ser alterada quando a galáxia está em um ambiente lotado, como em um aglomerado de galáxias. O canibalismo galáctico, por exemplo, é o que acontece quando uma grande galáxia se funde com uma galáxia companheira através da gravidade, resultando em uma galáxia maior.


Chicane

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Dependendo do quanto você sabe sobre carros de corrida, você pode ou não ter ouvido falar de uma chicane. No mundo do automobilismo, uma chicane consiste em uma ou duas curvas extras na estrada ou pista, projetadas para forçar os veículos a desacelerar.

Isso não é tão diferente das chicanes na física dos aceleradores de partículas, onde conjuntos de quatro dipolos magnéticos comprimem um feixe de partículas para agrupá-las. Ela aperta o conjunto de partículas de modo que aquelas na cabeça (as partículas de alto momento na frente do grupo) estejam mais próximas da cauda (as partículas na parte de trás).


Refrigerador

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Um refrigerador de feixe não será de muita utilidade no seu próximo piquenique. O resfriamento de feixe torna os aceleradores de partículas mais eficientes, mantendo as partículas em um feixe todas na mesma direção. A maioria dos feixes tem uma tendência a se espalhar à medida que viajam (algo relacionado ao movimento aleatório, ou "calor", das partículas), de modo que o resfriamento do feixe ajuda a chutar partículas extraviadas de volta ao caminho certo - fazendo-as permanecer na trajetória ideal conforme correm através do acelerador.


Casa

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Na física de partículas, uma casa é um lugar onde ficam os ímãs em um acelerador de partículas. Casa também é usada como um substantivo coletivo para um grupo de ímãs. O acelerador de partículas Tevatron, do Fermilab, por exemplo, tinha seis setores, cada um com quatro casas de ímãs.


Celeiro

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Um celeiro é uma unidade de medida usada na física nuclear e na física de partículas que indica a área alvo - ou seção transversal - que uma partícula representa.

O significado do termo científico foi originalmente censurado, devido à natureza secreta dos esforços para entender melhor o núcleo atômico nos idos da década de 1940. Agora você pode saber: Um celeiro é igual a 10-24 cm2. No mundo subatômico, uma partícula com esse tamanho é bastante grande - e atingi-la com outra partícula é praticamente como atingir o lado mais largo de um celeiro.


Cavidade

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

A maioria das pessoas tem medo de cavernas, buracos e cavidades, mas não na física de partículas. Aqui, uma cavidade é o nome de uma parte comum do acelerador. Essas câmaras de metal modelam o campo elétrico do acelerador e impulsionam as partículas, aproximando-as da velocidade da luz. O campo eletromagnético dentro de uma cavidade de radiofrequência muda rapidamente de um lado para o outro, chutando as partículas. As cavidades também mantêm as partículas agrupadas em grupos coesos, aumentando a intensidade do feixe.


Dopagem

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

A maioria das pessoas associa a dopagem ao uso de drogas nos esportes. Mas o doping pode ser muito mais! É um processo de introduzir materiais adicionais (muitas vezes considerados impurezas) em um metal ou semicondutor para alterar suas propriedades de condução. Os supercondutores dopados podem ser muito mais eficientes que seus equivalentes puros. Algumas cavidades do acelerador, feitas de nióbio, são dopadas com átomos de nitrogênio. Isso está sendo investigado também para uso na concepção de ímãs supercondutores.


Extinguir

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

A versão física de extinguir não tem nada a ver com isotônicos ou com saciar a sede. Em vez disso, um quench - este é o termo em inglês - é o que acontece quando materiais supercondutores perdem sua capacidade de superconduzir, ou transportar eletricidade sem resistência.

Durante essa transição - esta é outra tradução possível para quench -, a corrente elétrica aquece o fio supercondutor e o líquido refrigerante. Esse líquido, usado para manter o fio em sua temperatura fria e supercondutora, se aquece e se transforma em um gás que escapa pelas aberturas. Essa transição do estado supercondutor para o estado normal é bastante comum e uma parte importante do treinamento de ímãs que focarão e guiarão os feixes através dos aceleradores de partículas. Ela também ocorre em cavidades aceleradoras supercondutoras.


Injeção

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

Na física de partículas, as injeções não administram uma vacina através de uma agulha em seu braço. Em vez disso, as injeções são uma maneira de transferir os feixes de partículas de um acelerador para outro. Os feixes de partículas podem ser injetados a partir de um acelerador linear em um acelerador circular, ou de um acelerador circular menor (um reforçador) em um acelerador maior.


Decaimento

[Imagem: Sandbox Studio/Chicago/Corinne Mucha]

A maioria das pessoas associa o decaimento à perda de alguma coisa. Mas um decaimento de partículas é o processo pelo qual uma partícula se transforma em outras partículas. A maioria das partículas no Modelo Padrão é instável, o que significa que elas decaem quase imediatamente após sua criação. Quando uma partícula decai, sua energia é dividida em partículas menos massivas, que também podem decair.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…