Pular para o conteúdo principal

Estudo revela: existem 23 bilhões de toneladas de microrganismos debaixo dos oceanos


Uma equipe que reuniu 1200 cientistas de 52 países estudou a biosfera profunda por 10 anos, e descobriu que ela é bem maior do que imaginávamos
(SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Por Ingrid Luisa

Apesar do calor extremo, da grande pressão e da falta de luz, oxigênio e nutrientes, a biosfera subterrânea abriga um ecossistema maior do que se imaginava. Uma equipe que reuniu cerca de 1.200 cientistas de 52 países investigou por 10 anos para cravar: existe um ecossistema – uma “Galápagos subterrânea”, nas palavras deles –, a até 5 quilômetros abaixo do fundo dos oceanos, que abriga entre 15 e 23 bilhões de toneladas de microrganismos.

Traduzindo esse número, os bichinhos pesam cerca de 300 vezes mais que a massa das 7,6 bilhões de pessoas do mundo juntas. Em volume, eles ocupam de 2 a 2,3 bilhões de quilômetros cúbicos – quase o dobro do volume de todos os oceanos do planeta.

Os Pesquisadores do Observatório Deep Carbon, responsáveis pela descoberta, afirmam que a diversidade de espécies do submundo tem comparação com as da Amazônia (ou das próprias Ilhas Galápagos). Nele, vivem representantes dos três domínios da vida: bactérias, archaea (micróbios sem núcleo ligado à membrana) e eucariontes (micróbios ou organismos multicelulares com células nucleadas e organelas ligadas à membrana) — levando em conta a classificação de Carl Woese, de 1977, que divide os seres vivos de acordo com aspectos evolutivos a partir da comparação de sequências de RNA ribossomal.

Mas, ao contrário dos grandes biomas, a biosfera profunda ainda é algo relativamente novo e pouco estudado pelo o homem. Para desvendá-lo melhor, os cientistas perfuraram 2,5 km no fundo do mar, além de terem recolhido amostras de micróbios provenientes de minas no continente e buracos com mais de 5 km de profundidade. Microscópios que permitem que a vida seja detectada em níveis cada vez mais reduzidos também foram essenciais para o estudo.

Os resultados mostram que 70% das bactérias e archaea do planeta estão no subsolo. E micróbios profundos são muito diferentes de seus primos de superfície, com ciclos de vida em escalas de tempo bizarramente maiores. Rick Colwell, ecologista microbiano da Oregon State University, que contribuiu com o estudo, disse que alguns microrganismos estão vivos há milhares de anos, mal se movendo, exceto com mudanças nas placas tectônicas, terremotos ou erupções.

“Nós, humanos, nos orientamos para processos relativamente rápidos, ciclos diurnos baseados no sol, ou ciclos lunares baseados na lua, mas esses organismos fazem parte de ciclos lentos e persistentes em escalas de tempo geológicas”, afirmou o ecologista.

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…