Pular para o conteúdo principal

Como gatos (e outros bons animais) ajudaram a abrir caminho para o voo espacial humano



Por: Rae Paoletta

Todos os gatos são físicos amadores. Sabemos disso porque eles insistem em constantemente derrubar coisas para se certificar de que a gravidade ainda existe. Mas o mero fato dos gatos serem interessados em ciência não os torna grandes candidatos para viagens espaciais. Claro, isso não impediu a Força Aérea de colocar isso à prova.

Um vídeo de 1947 mostra pesquisadores da Base da Força Aérea Wright-Patterson, em Dayton, Ohio, a voar gatinhos e pombos em uma aeronave C-131, apelidada de “Vomit Comet” (Cometa do Vômito), que simulação a ausência de peso através de uma trajetória de voo parabólico. O experimento foi parte da pesquisa bioastronáutica da Aerospace Medical Division Hq 657Oth Aerospace Medical Research Laboratories, então a Força Aérea provavelmente queria ver como gatinhos se sairiam no espaço antes dos seres humanos irem para lá. Os pesquisadores escreveram muitas instruções detalhadas sobre como os seres humanos poderiam se mover no espaço, baseados nas manobras dos gatinhos.

Embora os americanos nunca tenham enviado um gato para o espaço de verdade, a França o fez. Em 24 de outubro de 1963, o Centre national d’études spatiales enviou uma gata preta e branca chamada Fèlicette para um voo suborbital de 15 minutos. Ela sobreviveu e foi mais tarde estudada por cientistas franceses no Centro de Educação de Aviação e Pesquisa Médica (CERMA), para ver se o seu cérebro tinha sido ou não impactado pelo voo espacial.

Outros animais também foram atirados em direção à fronteira final para testar os primeiros foguetes, e, lamentavelmente, alguns não sobreviveram à viagem. Em 3 de novembro de 1957, os soviéticos lançaram o Sputnik 2, que carregava uma cadela chamada Laika a bordo. Embora Laika tenha se tornado a primeira criatura viva no espaço orbital, os engenheiros não conseguiram pensar em um plano de re-entrada para a Sputnik 2 a tempo do lançamento, então ela nunca voltou à Terra. Em 1948, a NASA lançou um macaco rhesus chamado Albert a 63 km de altura em um foguete V2, mas, infelizmente, ele sufocou e morreu.

Muitos outros animais foram enviados para o espaço desde esses primeiros dias, sempre com propósitos experimentais. Mas parece que as missões para gatos no espaço foram encerradas desde Fèlicette. A próxima vez que veremos gatinhos no espaço provavelmente será quando Elon Musk finalmente inaugurar aquela colônia marciana para gatos que eu tanto pedi para ele.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…