Pular para o conteúdo principal

Arqueólogos descobrem ruínas de cidade do Império Romano na França


Arqueólogo trabalha na escavação de um mosaico perto de Vienne, no sudoeste da França; os cientistas encontraram um bairro inteiro com luxuosas residências e vastos espaços públicos do século 1. Foto: Jean-Philippe Ksiazek/AFP

Perto de Vienne, no sudoeste francês, os cientistas encontraram um bairro inteiro com luxuosas residências e vastos espaços públicos do século 1 em bom estado de conservação

Fábio de Castro, O Estado de S.Paulo

Nos subúrbios de Vienne, no sudeste da França, cientistas encontraram um bairro inteiro da época em que a cidade fazia parte do Império Romano, com luxuosas residências e vastos espaços públicos bem conservados. A descoberta foi anunciada ontem pelos arqueólogos franceses responsáveis pela escavação, sob a liderança de Benjamin Clément, da Universidade de Lyon.

"Trata-se sem dúvida da descoberta mais excepcional do período romano nos últimos 40 ou 50 anos. Tivemos uma sorte extraordinária", disse Clément à AFP. Segundo ele, o bairro, abandonado após uma série de incêndios, já está sendo chamado pelos cientistas de "pequena Pompeia", em alusão à cidade romana da Itália totalmente sepultada por uma erupção do vulcão Vesúvio no ano 79.

Iniciada em abril, a escavação realizada por mais de 20 especialistas deveria terminar em meados de setembro, mas foi prolongada até 15 de dezembro depois de ser classificada como "descoberta excepcional" pelo Ministério da Cultura da França.

O bairro romano, ocupado por pelo menos três séculos, tem uma superfície de 7 mil metros quadrados em meio urbano, o que é muito raro, de acordo com os arqueólogos. Também chamou a atenção dos cientistas a diversidade e o bom estado de conservação dos vestígios encontrados.

"Incêndios sucessivos permitiram conservar todos os elementos no mesmo lugar em que estavam quando os habitantes fugiram da catástrofe, o que transformou esse setor em uma pequena Pompeia", disse Clément.

Com o incêndio causou o colapso e desabamento do primeiro andar, do teto e do terraço superior de uma suntuosa residência cercada de jardins datada da segunda metade do século 1. A residência foi batizada pelos cientistas de Casa dos Bacanais, por causa de um mosaico que representa um cortejo de bacantes e sátiros ao redor do deus romano Baco. Os andares que desabaram ficaram preservados com todos os móveis abandonados no local original.


Arqueóloga da equipe de Benjamin Clément, da Universidade de Lyon, trabalha na escavação perto de Vienne, no sudoeste da França; os cientistas descobriram um bairro inteiro da antiga cidade romana, que foi abandonado após uma série de incêndios. Foto: Jean-Philippe Ksiazek/AFP

O esplendor da casa com seus balaústres, as decorações de seus mosaicos, sua pavimentação de mármore e sua rede hidráulica fizeram os arqueólogos especularem que ela pode ter pertencido a um rico mercador originário do Oriente.

A catástrofe que acabou com a casa beneficiou os arqueólogos. "Vamos poder reconstituir essa casa do piso ao teto, como em Pompeia ou Herculano", disse Clément.

Várias outras casas foram descobertas. Em uma delas, batizada de casa de Tália e Pã, um belo mosaico quase totalmente preservado foi desenterrado no início desta semana, com grande precaução. O mosaico representa Tália, a musa grega da comédia, com as nádegas expostas, sendo raptada por Pã, o deus grego dos bosques e rebanhos.

Segundo Clément, o mosaico será restaurado em um ateliê do Museu Galo-Romano de Saint-Romain-en-Gal, em Vienne, para uma exposição a ser realizada em 2019.

Rota das Gálias. No século 1, a Gália, que corresponde aproximadamente à França moderna, estava sob domínio do Império Romano. A cidade galo-romana de Vienne se situava em uma posição estratégica para a circulação de pessoas e bens entre a Gália Lugdunense, ao norte e a Gália Narbonense, ao sul. A rota pelo rio Ródano ia de Lyon, capital das Gálias, até a cidade de Arles, próxima ao Mar Mediterrâneo.


O bairro da cidade romana do século 1, com uma área de 7 mil metros quadrados, está sendo chamada pelos cientistas de "pequena Pompeia", pelo estado de conservação extraordinário dos vestígios encontrados. Foto: Jean-Philippe Ksiazek/AFP

No sítio de Vienne, às margens do Ródano, foram encontrado um antigo mercado, que mais tarde foi substituído por um grande edifício público de arquitetura atípica, com uma fonte monumental adornada com a estátua de Hércules.

"Isso pode corresponder a uma escola de retórica ou filosofia. Sabemos disso graças aos registros de que existia uma escola muito importante de Vienne. Talvez a tenhamos localizado", afirmou Clément.

Novas análises deverão confirmar a descoberta. Até dezembro, os arqueólogos vasculharão os níveis mais antigos do sítio. "Cavando um pouco mais, vamos sem dúvida descobrir outras coisas excepcionais", disse o arqueólogo.

Vienne, que na Antiguidade já se estendia pelos dois lados do Ródano, abriga um rico patrimônio da cultura galo-romana, incluindo o teatro antigo e o templo de Augusto e Lívia. Os vestígios se espalham pelas duas margens do rio.

FONTE: http://www.estadao.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…