Pular para o conteúdo principal

Satélite criado por alunos de escola pública de SP será lançado no espaço


O UbatubaSat mede 13 centímetros e pesa pouco mais de 700 gramas - Cândido Moura

Equipamento vai para a Estação Internacional e ajudará em estudos do Inpe

Na manhã desta sexta-feira, às 10h26min pelo horário de Brasília, a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (Jaxa) vai lançar um cargueiro para a Estação Espacial Internacional. A bordo estará um pequeno satélite brasileiro, com 13 centímetros de altura e pouco mais de 700 gramas. O equipamento será utilizado por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para estudar a formação de bolhas de plasma na ionosfera do planeta, que dificultam a comunicação por rádio, localizadores GPS e o funcionamento de radares. Mas o que chama atenção é que o UbatubaSat foi construído por estudantes do ensino básico de uma escola municipal de Ubatuba, no litoral paulista.

— O resultado do Pisa colocou o Brasil nas últimas posições no ranking sobre o ensino de ciências. Mas aqui nós também temos uma escola onde os alunos constroem um satélite, como pouquíssimas no mundo, se existir alguma — disse o professor de matemática Cândido Moura na Escola Municipal Tancredo Neves, idealizador e coordenador do projeto. — Um projeto como esse coloca a ciência e a tecnologia na vida dos alunos.

O projeto começou em 2010, após Moura ter lido uma reportagem sobre uma start-up americana que comercializava kits para a montagem de satélites e estava desenvolvendo um modelo de lançador com custo acessível. Com US$ 10 mil doados por um empresário local, o professor entrou em contato com a empresa e encomendou um kit.


O satélite foi construído por estudantes da Escola Municipal Tancredo Neves, em Ubatuba - EXPLORE MÍDIA

Nestes seis anos, cerca de 500 alunos já passaram pelo programa, onde aprendem na prática conceitos científicos e a manejar instrumentos e ferramentas para a construção de componentes eletrônicos. O projeto é voltado para os alunos do 6º do ensino fundamental, mas um grupo de seis deles, que participaram da primeira turma, acompanharam todo o processo de construção do satélite.

— Agora eles estão se formando no ensino médio — contou Moura. — O lançamento do satélite é um presente de formatura para eles.

A construção do satélite contou com apoio de pesquisadores do Inpe, e o lançamento será realizado com apoio da Agência Espacial Brasileira (AEB). Ao longo desses seis anos, o projeto contou com apoio da prefeitura e até da Unesco, que bancou a viagem de dois alunos para o Japão, após eles terem sido aprovados para apresentar um paper num congresso internacional de exploração espacial.

Na prática, foram construídos dois satélites. O primeiro, com o kit comprado da start-up americana, nunca chegou a ser lançado. O segundo aproveita algumas peças do primeiro, mas foi totalmente projetado e construído no Brasil, pelos alunos da escola com apoio do Inpe. A remodelação foi necessária para que o satélite pudesse ser enviado para a Estação Espacial Internacional, de onde será posto em órbita por um braço mecânico no próximo dia 19.


A equipe do projeto UbatubaSat com pesquisadores do Inpe - EXPLORE MÍDIA

— Para entrar na Estação Espacial Internacional existem exigências severas para evitar contaminação. Por isso, nós tivemos que reprojetar o satélite para atender a essas exigências — explicou Moura.

PUBLICIDADE

O trabalho de montagem foi realizado nos laboratórios da escola, que possuem uma sala limpa, microscópios e outros instrumentos, e nos laboratórios do Inpe, para os procedimentos mais avançados. Além dos equipamentos científicos, o UbatubaSat carrega um chip que vai transmitir do espaço uma mensagem gravada por estudantes da escola. O texto foi escolhido em concurso entre os alunos.

O lançamento do UbatubaSat põe um ponto final na primeira etapa do projeto, mas Moura já planeja o futuro. O professor já negocia o lançamento, daqui a dois anos, de um segundo equipamento.

— O plano já está em execução. O nosso próximo satélite vai ser do modelo CubeSat — adiantou.

FONTE: O GLOBO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…