Pular para o conteúdo principal

Rachadura na Antártida ameaça estação britânica de pesquisa climática



A British Antarctic Survey (Pesquisa britânica na Antártida, em tradução livre) tem um problema em forma de uma enorme rachadura da camada de gelo no leste da Antártida. Dormente por quase 35 anos, a rachadura começou a crescer em 2012. Hoje, ela ameaça partir toda a plataforma de gelo que serve como base para a estação de pesquisa Halley VI. Agora, a Halley VI está sendo rebocada para outra área mais segura.

“Se [a rachadura] continuar a abrir e o gelo se romper, a estação estaria no lado errado da rachadura”, explicou Athena Dinar, uma porta-voz da British Antarctic Survey, ao Gizmodo quando questionada sobre a razão pela qual a estação metereológica está sendo movida a uma distância de 23 km para o interior. Se a rachadura fosse ignorada, a estação poderia ficar à deriva no mar.


Mapa mostra a localização atual da Halley VI, sua futura localização, e a rachadura (localizada no chasm 1 — abismo 1, em tradução literal)

Instalada em 2012 para estudar locais com temperaturas extremas e a camada de ozônio, a Halley VI está localizada na prateleira de gelo Brunt de 150 metros de espessura, uma região dinâmica de placa de gelo no leste da Antártida que flui em direção ao mar cerca de 0,4 km por ano. Neste local e em qualquer outro ao longo margens da Antártida, a migração lenta de geleiras empurra as placas de gelo em direção ao oceano aberto, quase como uma plataforma de mergulho em uma piscina. Eventualmente, um estresse acumulado faz com que essas placas de gelo quebrem e formem icebergues, em um processo conhecido como calving.

Felizmente, a British Antarctic Survey estava ciente dos perigos deste processo quando eles instalaram a Halley VI, que inclusive foi a estação de pesquisa que levou à descoberta do buraco da camada de ozônio. Logo, ela foi concebida para ser móvel. Cada um dos oito módulos da estação pode ser separado da composição e rebocado pelo gelo em tratores, o que é exatamente o que tem ocorrido agora que a Antártida está emergindo de meses de escuridão invernal.

Ao todo, o processo para mover a estação deve levar três anos.


Módulos da estação Halley

“A Halley foi concebida e desenvolvida para ser especificamente realocada em função das mudanças do gelo”, disse Tim Stockings, diretor de operação da British Antarctic Survey, em um comunicado. “Nos últimos anos, nossa equipe operacional tem sido meticulosa em desenvolver planos detalhados para movê-la e estamos animados com este desafio.”

Diferente da costa oeste da Antártida, onde o gelo tem derretido em um ritmo mais rápido por causa das mudanças climáticas, a plataforma de gelo Brunt, que fica no leste, ainda não passou por um aquecimento significante, e não tem mostrado sinais de que pode se partir nos últimos anos. A rachadura, ainda que seja ameaçadora, parecer ser perfeitamente natural.

[British Antarctic Survey]

Todas as fotos por British Antarctic Survey

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…