Pular para o conteúdo principal

(Matéria de 2013 atualizada em janeiro de 2016) OVNIs: por que o sigilo sobre os documentos?


Em 2009, o então governo Lula iniciou um movimento para tornar públicos relatórios e documentos sigilosos sobre a aparição de objetos voadores não identificados no País. Encaminhou ao Arquivo Nacional mais de cinco mil páginas desses relatos, cujo prazo de 50 anos para manutenção do sigilo havia expirado. Em 2010, a Casa Civil baixou um decreto determinando que arquivos sobre o tema espalhados em diferentes órgãos fossem reunidos para posterior divulgação. Ainda há, porém, uma lista enorme de inquéritos, fotos, filmagens e depoimentos mantida em total segredo. Apesar de conhecida e informada nos anos 50 e 60, a existência de parte desta papelada é negada pela Marinha, pelo Exército e pelas Forças Armadas.

Essa situação inclui casos notórios. Um deles envolve a Operação Prato, que reuniu trinta militares para investigar as constantes aparições de objetos estranhos no céu da Amazônia entre 1977 e 1978. Os depoimentos armazenados em quatro fitas ainda não vieram a público. O mesmo ocorre com a documentação sobre a Ilha de Trindade, no Espírito Santo, cenário de uma suposta sequencia de aparições de discos voadores em 1958. À época, a Câmara pediu à Marinha acesso a todos os relatórios e fotografias. O então parlamentar Sergio Magalhães (PDT-DF) chegou a avisar publicamente que estava com o inquérito em mãos. Os relatórios, entretanto, não constam entre os que foram entregues ao Arquivo Nacional. “A Marinha não possibilitou o acesso. Sequer fazem referência ao que foi entregue. Cobramos respostas sobre o que temos certeza que existe”, desabafa o pesquisador Marco Antonio Petit. O Ministério da Defesa afirma não ter em seu poder os documentos que especialistas dizem que estão sendo omitidos.

Autor de pelo menos dois requerimentos enviados ao ministério pedindo acesso aos dados omitidos, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) resume o cenário: “Ainda persiste a nebulosa situação sobre o real tamanho dos arquivos e até onde o Comando está disposto a abri-los”. Mas qual seria a preocupação da Defesa? Militares ouvidos por ISTOÉ dizem que não existe interesse do governo em promover novas discussões sobre a existência ou não de extraterrestres. A não divulgação de documentos envolvendo o assunto seria uma maneira de garantir a ordem pública e evitar a instauração desnecessária de pânico, revelam as mesmas fontes. As explicações são rasas e não justificam o descumprimento de uma decisão já tomada pelo próprio governo. Embora questionável, esse controle procura imitar padrões já estabelecidos por países como Estados Unidos e Grã-Bretanha. “Nenhum governo ganha divulgando detalhes sobre operações desse tipo. Há muita coisa em jogo”, diz um militar de alta patente. houve um encontro entre ufólogos e os três comandos da Defesa. O debate foi uma oportunidade de esclarecer de uma vez por todas à população a necessidade da manutenção do sigilo das informações sobre os Óvnis no País.

FONTE: REVISTA ISTO É

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…