Pular para o conteúdo principal

Existe um enorme recife de coral na foz do rio Amazonas e ninguém havia reparado



Cientistas brasileiros descobriram um enorme recife de 9.500 km² na foz do rio Amazonas. Ele passou despercebido por muito tempo, e abriga algumas formas de vida bem curiosas.

O termo “recife de corais” costuma remeter a águas tropicais cristalinas e corais coloridos. Talvez por isso, ninguém nunca se preocupou em olhar para o escoamento do rio com a maior vazão de água do mundo.

O rio Amazonas tem uma taxa de escoamento que chega a 300.000 m³ de água repleta de sedimentos a cada segundo. Isso gera uma nuvem espessa, semelhante a smog, que reduz os níveis de luz e oxigênio no fundo do mar. Então você pode imaginar a surpresa dos cientistas em descobrir um enorme recife por lá. Um artigo descrevendo a descoberta foi publicado na revista Science Advances.

Eles explicam que este é um “recife biogênico”, isto é, um conjunto de animais, plantas e micróbios que vivem nas profundezas e mineralizam esqueletos de calcário ou sílica.

O tipo mais conhecido é o clássico recife de coral, que ocorre em águas rasas, quentes e pobres em nutrientes. O recife do rio Amazonas é uma variação disso, abrigando esponjas, corais-pétreos e peixes de água rasa.


Corais (à esquerda) e esponjas (à direita) coletados na foz do rio Amazonas (Thompson et al, Science Advances)

“Este tipo de recife biogênico vem sendo descoberto com mais frequência nos últimos anos”, diz Fabiano Thompson, oceanógrafo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ao Gizmodo. “Mas nós não estamos cientes deste tipo exato de recife em outros lugares. Um sistema especial se formou aqui.”

Há anos, pessoas vêm encontrando corais e outros organismos construtores de recifes perto da foz do Amazonas. Mas só quando Thompson e seus colegas começaram uma extensa pesquisa de campo em 2012, passamos a entender como este ecossistema era difundido.

Dominado por esponjas e algas vermelhas chamadas rodolitos – que formam crostas de calcário – o recife se estende ao longo de uma faixa com aproximadamente mil quilômetros na plataforma continental rasa, desde a fronteira da Guiana Francesa até o Maranhão.


O mapa do recife biogênico na foz do rio Amazonas (Thompson et al, Science Advances)

O recife corta através de toda a foz do Amazonas, e as condições ambientais mudam drasticamente ao longo do seu comprimento. No norte, a pluma do rio lança uma sombra pesada, tornando escassos tanto a luz como o oxigênio. Mais ao sul, a água se torna mais clara, mais ensolarada e bem arejada. Isto resulta em comunidades ecológicas distintas ao longo do comprimento do recife.

Na parte sul do recife, a cadeia alimentar é baseada em algas que realizam fotossíntese, produzindo açúcar a partir de luz solar e sustentando uma mistura diversificada de esponjas e corais. Mas à medida que você viaja para o norte, a luz solar é menos frequente e a paisagem ecológica muda. Algas minúsculas são substituídas por uma classe mais exótica de produtores primários: trata-se de micróbios que podem fazer sua própria comida retirando energia a partir de produtos químicos inorgânicos – cientistas chamam esse processo de quimiossíntese.

Micróbios quimiossintéticos costumam ser encontrados em ambientes extremos, tais como fossas profundas do oceano ou lagos subterrâneos, mas raramente eles são numerosos o bastante para sustentar um grande ecossistema macroscópico.

“Este é o primeiro recife quimiossintético que usa minerais – como amônia e enxofre – para sustentar o recife, em vez de luz e produção primária”, diz Thompson. “Isso poderia tornar o sistema bastante único.”

Mesmo sendo único, o recife amazônico do norte se junta a um crescente número de sistemas em todo o mundo que são totalmente distintos dos clássicos recifes dominados por corais.

Por exemplo, coloridos “jardins de esponja” prosperam na costa oeste da Austrália e no litoral da Colúmbia Britânica (Canadá). Enquanto isso, há corais espetaculares vivendo a quilômetros abaixo da superfície do oceano, onde o sol nunca brilha. Thompson diz ser possível que a quimiossíntese também ajude a sustentar alguns desses moradores das profundezas.

Embora o recife amazônico esteja sendo explorado só agora, ele enfrenta inúmeras ameaças causadas pela humanidade, como plataformas de petróleo e exploração de gás, pesca industrial e mudança climática. Até mesmo os recifes “tradicionais” de coral ao redor do mundo vêm sofrendo o branqueamento mais intenso já registrado. Descobertas como esta nos lembram por que é tão importante proteger os ecossistemas marinhos frágeis – imagine todas as outras maravilhas que ainda não foram encontradas.

Foto: a foz do rio Amazonas (Wikimedia)



FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…