Pular para o conteúdo principal

Declarações de Hillary Clinton causam polêmica


De acordo com Seth Shostak, é improvável que a Área 51 tenha algo alienígena; o pesquisador Billy Cox respondeu duramente

Seth Shostak critica os ufólogos, ao passo que Billy Cox afirma que o cientista sênior do SETI atrapalha a pesquisa

Seth Shostak tem sido há muitos anos cientista sênior do SETI, o projeto científico de busca por inteligência extraterrestre. Autor de quatro livros, dezenas de artigos e participante frequente de documentários, ele publicou recentemente no periódico Huffington Post um texto ironizando os que defendem a liberdade de informações ufológicas do governo. Shostak se concentrou nas falas de Hillary Clinton no Jimmy Kimmel Live, talk show da rede ABC. O cientista apresentou um breve histórico a respeito da ligação dos Clintons com a questão ufológica, como seu contato com o bilionário e filantropo Laurence Rochefeller, bem como a campanha do agora comandante da campanha de Hillary, John Podesta, pela liberação de arquivos secretos.

O cientista sênior do SETI tenta desmontar a tese de que o governo norte-americano tenha arquivos classificados quanto às visitas extraterrestres e aponta o exemplo do encerramento do Projeto Blue Book, aliás atribuindo uma data errada, 1970, quando na verdade o fechamento se deu em 1969. Fazendo pouco da pequena porcentagem de casos inexplicados, Shostak ainda lembra o recente fechamento do Projeto UFO do Ministério da Defesa Britânico (MoD). Alega que uma afirmação de que a Área 51 só contenha aeronaves militares não seria de nenhuma forma aceita pela comunidade ufológica, e que a própria Hillary Clinton afirmou que somente razões de segurança nacional impediriam uma liberação. Assim ele diz que a candidata tocou no assunto somente para angariar votos.

O pesquisador Billy Cox respondeu ao texto de Seth Shostak em seu blog no Herald Tribune. Primeiro lembrou uma pesquisa do Bureau Nacional de Pesquisa Econômica, que analisou a influência que cientistas de elite exercem em seus campos. A pesquisa descobriu que a produção científica de colaboradores desses cientistas, após seu falecimento, cai vertiginosamente, ao passo que a de colegas do mesmo campo cresce muito mais, apresentando visões inovadoras que fazem avançar o conhecimento. A conclusão foi que frequentemente figuras de grande prestígio atrapalham o avanço em suas respectivas áreas, e Cox ironiza em seguida o texto de Shostak, traçando um paralelo com a pesquisa. Critica o cientista por convenientemente e sem qualquer esforço de pesquisa deixar de lado casos importantes, tais como aqueles envolvendo pilotos de aeronaves e detecção por radar, e lembra do Projeto Condign, que buscava analisar a possibilidade de avistamentos de UFOs com efeitos físicos, tais como eletromagnéticos, poderiam ser pesquisados para uso militar. Cox encerra afirmando que quando Shostak aposentar-se uma era de menos doutrinação e mais busca pelo conhecimento terá início.


Seth Shostak critica os que confiam nas promessas de Hillary Clinton, mas recebeu resposta à altura

FONTE: REVISTA UFO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…