Pular para o conteúdo principal

Buraco negro supermassivo está disparando ondas de rádio que chegam à Terra



Durante os últimos nove anos, astrônomos vêm documentando uma série de pulsos estranhos de ondas de rádio, enviados de muito longe. Estas “explosões rápidas de rádio” (FRB na sigla em inglês) duram apenas milissegundos, e são quase sempre detectadas após terminarem – por isso, é um desafio descobrir de onde elas vieram.

Na busca por essas explosões, astrônomos acabaram descobrindo algo diferente: um buraco negro constantemente emitindo ondas de rádio que chegam à Terra.

Em fevereiro, um estudo alegava ter identificado a origem de uma FRB no espaço pela primeira vez: uma galáxia a 6 bilhões de anos-luz. No entanto, as conclusões da equipe começaram a se desfazer quando Peter Williams e Edo Berger, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, levantaram novas evidências.

Após a FRB ser documentada, Williams e Berger rapidamente usaram os radiotelescópios Very Large Array para ter uma ideia melhor da galáxia onde se originou o sinal. Eles ficaram surpresos ao descobrir que o sinal ainda estava forte.

Em uma FRB de verdade, o sinal diminui rapidamente após o disparo inicial. Em vez disso, os astrônomos viram algo cíclico: as emissões de rádio se tornavam cada vez mais fortes, antes de quase sumirem novamente.

A fonte também logo se tornou clara: um buraco negro maciço no centro da galáxia, que vem expelindo rajadas de ondas de rádio que podem ser detectadas na Terra.

Jatos duplos explodem para fora do buraco negro, e processos físicos complexos dentro desses jatos criam uma fonte constante de ondas de rádio. A intensidade delas muda à medida que o buraco negro engole mais matéria.

O mistério das FRBs
Ou seja, o que parecia ser uma FRB na verdade é apenas o sinal cíclico de um buraco negro. “O que a outra equipe viu não tinha nada de incomum”, diz Berger em um comunicado. “A emissão de rádio a partir desta fonte aumenta e diminui, mas nunca some de vez. Isso significa que ela não pode ser associada à explosão rápida de rádio”.

Williams lembra que “parte do processo científico é investigar resultados para ver se eles sustentam. Neste caso, parece que há uma explicação mais mundana para as observações de rádio”, diz ele em comunicado. A “explicação mundana” é o buraco negro supermassivo. O estudo foi aceito para publicação na Astrophysical Journal Letters.

Tudo isso mostra o poder do método científico, mas deixa em aberto o mistério das FRBs: ainda há um longo registro desses sinais cósmicos únicos, cuja origem não foi descoberta.

Mas os pesquisadores estão otimistas: “há 30 anos, víamos explosões de raios gama aparecerem e desaparecerem, mas não sabíamos o que eram nem o que as causava; agora temos provas concretas de suas origens”, diz Williams. Pode ser questão de tempo resolver a incógnita das FRBs também.

[Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics]

Conceito artístico de um buraco negro no centro de uma galáxia/M. Helfenbein, Yale University/OPAC

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…