Pular para o conteúdo principal

Câmera do telescópio Hubble quebrou; greve no governo dos EUA prejudica o reparo



Por Patrícia Gnipper

A Wide Field Camera 3, um dos principais instrumentos do telescópio espacial Hubble, quebrou na última terça-feira (8). Como se isso não fosse problema suficiente, os engenheiros da NASA não conseguirão trabalhar no reparo tão cedo, já que está rolando uma paralisação no governo dos EUA — e, vale lembrar, a NASA é uma agência estatal e, portanto, faz parte da greve.

No Goddard Space Flight Center, da NASA, é que ficam as operações do Hubble e, ali, a maioria dos funcionários está em licença involuntária enquanto durar a paralisação. Apenas algumas pessoas responsáveis pela operação de espaçonaves que estão voando no momento foram autorizadas a continuar trabalhando. Entre esses funcionários, estão alguns que operam o Hubble — mas o telescópio espacial, que tem quase 30 anos de operação, precisará de mais funcionários para que o reparo seja feito devidamente.

Emergencialmente, a NASA criou uma equipe para investigar o problema técnico e, então, descobrir o que e quanto tempo será necessário para o reparo. Mas como a assessoria de imprensa da agência espacial, que também é do governo, está de licença por conta da paralisação, também não está fácil conseguir informações sobre o caso. Vale ressaltar que, durante a paralisação, os funcionários ficam proibidos de voltarem ao trabalho, mesmo se desejarem.

A câmera defeituosa não é a única do Hubble, que tem uma segunda câmera e dois espectrógrafos que permanecem funcionando normalmente, continuando a coletar dados. E o Instituto de Ciência do Hubble, que fica em outro local e administra as operações científicas do telescópio, permanece aberto e funcionando, usando a verba que a NASA forneceu antes do início das paralisações — então a situação não é tão trágica assim, por enquanto. Mas, caso a greve se estenda por muito mais tempo, esse dinheiro vai acabar e, então, não será possível continuar administrando a ciência fornecida pelo Hubble, mesmo que com defeito.

A paralisação começou no dia 22 de dezembro, afetando cerca de 75% do governo, e ainda não há previsão de encerramento. E, quando a paralisação começou, cientistas já estavam preocupados justamente com a possibilidade de o Hubble apresentar problemas até o retorno normal das atividades pois, em outubro do ano passado, o telescópio espacial parou de funcionar por três semanas graças a um giroscópio defeituoso.

Afinal, o Hubble foi lançado ao espaço em 1990, tendo sido atualizado cinco vezes por astronautas, sendo que a última manutenção presencial foi feita em 2009, quando a câmera que agora apresentou defeito foi instalada. Sendo assim, algum de seus instrumentos apresentar defeitos e exigir reparos não é algo assim tão surpreendente, dado seu longo tempo de operação. O Hubble será substituído pelo telescópio espacial James Webb, que deveria ter sido lançado no ano passado, mas uma série de problemas fez com que a NASA precisasse adiar seu lançamento para 2021. Ele é três vezes maior do que o Hubble.

FONTE: Nature via canaltech.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…