Pular para o conteúdo principal

Robô que bate asas imita acrobacias aéreas de insetos


O robô-inseto voa batendo asas. [Imagem: Matej Karásek et al. - 10.1126/science.aat0350]

Robô que imita voo de insetos

Um robô que voa com grande agilidade batendo asas promete ajudar a esclarecer os complexos movimentos do voo de pássaros e insetos, como as moscas, que fazem curvas incrivelmente rápidas.

Os insetos estão entre as criaturas voadoras mais ágeis da Terra, capazes de girar rapidamente enquanto pegam presas ou evitam uma raquete chocante.

A pesquisa sobre a aerodinâmica que torna essas manobras possíveis tipicamente envolve observações de voo usando câmeras de alta velocidade, seguida de modelagem teórica. Mas, na hora de reproduzir as técnicas de voo na prática, os robôs voadores e os aviões não vinham dando conta do recado.

Por isso, Matej Karásek e seus colegas da Universidade Técnica de Delft, na Holanda, desenvolveram um robô autônomo biomimético, com quatro asas que batem e sem cauda. Assim, sua posição e orientação de voo são controladas apenas através de ajustes precisos nos movimentos das asas.

"O robô tem uma velocidade máxima de 25 km/h e pode realizar manobras agressivas, como viradas de 360 graus. Além disso, com uma envergadura de 33 cm e 29 gramas de peso, o robô tem, pelo seu tamanho, excelente eficiência energética, permitindo 5 minutos de voo pairando ou mais de 1 km de alcance com uma bateria totalmente carregada," disse Karásek.


O robô imitou com precisão várias manobras das moscas-das-frutas. [Imagem: Matej Karásek et al. - 10.1126/science.aat0350]

Grande e ágil

Para demonstrar o potencial para a pesquisa do voo animal, Karásek programou o robô para imitar as curvas rápidas e evasivas feitas pelas moscas-das-frutas. Apesar de o robô ser mais de 55 vezes maior do que o inseto, ele replicou com precisão a dinâmica das manobras da mosca.

Uma das novidades é que os experimentos mostraram que uma abordagem passiva é a melhor técnica para controlar as manobras estonteantes do inseto, incluindo fazer curva inclinadas e minimizar o deslizamento lateral - as técnicas ativas testadas falharam.

De acordo com a equipe, os recursos de voo bioinspirados do robô fornecem um novo e efetivo análogo para o estudo de uma variedade de tarefas exigentes associadas com o voo dos insetos, incluindo decolagem, pouso, curvas rápidas e perseguição e fuga.

Bibliografia:

A tailless aerial robotic flapper reveals that flies use torque coupling in rapid banked turns
Matej Karásek, Florian T. Muijres, Christophe De Wagter, Bart D. W. Remes, Guido C. H. E. de Croon
Science
Vol.: 361 Issue 6407 1089-1093
DOI: 10.1126/science.aat0350

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…