Pular para o conteúdo principal

Cientistas criam acidentalmente enzima que digere o plástico



Por: George Dvorsky

Há dois anos, cientistas descobriram uma enzima em um centro de reciclagem no Japão que era capaz de digerir o plástico. Durante um experimento recente para entender como essa enzima funciona, os pesquisadores criaram acidentalmente uma versão mutante que lida com o plástico de um jeito ainda mais eficiente. A descoberta pode nos levar um grande avanço na redução de lixo plástico, especialmente de garrafas PET.

O progresso na ciência é conduzido por trabalhos bem deliberados e calculados, mas de vez em quando acontece algum acaso feliz que nos permite fazer grandes avanços.

O novo relatório publicado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences é um caso perfeito dessa situação. Pesquisadores da Universidade de Portsmouth e do Laboratório Nacional de Energia Renovável do Departamento de Energia dos EUA estavam conduzindo um experimento para ver como uma enzima que quebra o plástico em pequenas partículas funciona (uma enzima é um subproduto químico produzido por organismos vivos). Quando eles alteraram sua estrutura física, os cientistas criaram sem querer uma enzima que é 20% mais eficiente, se comparada com a enzima encontrada na natureza.

“O acaso muitas vezes tem um papel significativo na pesquisa científica fundamental e nossa descoberta não é uma exceção”, disse John McGeehan, autor principal do novo estudo, em um comunicado. “Embora a melhoria seja modesta, essa descoberta inesperada sugere que existe espaço para melhorar ainda mais essas enzimas, nos colocando mais perto de uma solução de reciclagem para a montanha crescente de plásticos descartados”.

Os plásticos se tornaram populares na década de 1960 e o lixo produzido por esses produtos era uma pequena dor de cabeça, mas já se transformou em uma enxaqueca latejante. O lixo plástico existe praticamente em qualquer lugar, de aterros sanitários e parques estaduais, passando por grandes manchas de lixo oceânico e até mesmo nas partes mais profundas do mar. Milhões de toneladas de garrafas de plástico, por exemplo, sujam o planeta e levam centenas de anos para se degradar.

Encontrar maneiras para acelerar o processo de degradação é um grande desafio. A descoberta, em 2016, de uma enzima que “come” exclusivamente o Politereftalato de etileno (PETs) – plástico encontrado em garrafas – nos deu alguma esperança. Essa enzima estranha, chamada PETase, vem de uma bactéria chamada Ideonella sakaiensis, e quebra o PET em ácido tereftálico e etilenoglicol em um processo de leva dias, em vez de séculos. O PET passou a existir a partir da década de 1940 e por isso a equipe de McGeehan descobriu que a enzima só se desenvolveu recentemente, provavelmente em uma unidade de reciclagem no Japão, onde ela foi encontrada. Para o novo estudo, os pesquisadores quiseram determinar como a enzima evoluiu e visualizar como poderia ser melhorada.


Uma imagem de microscopia eletrônica mostrando a interação entre a enzima (verde) com o plástico (cinza). Imagem: H. P. Austin et al., 2018

Utilizando o síncrotron da Diamond Light Source no Reino Unido, os pesquisadores conseguiram resolver a estrutura de cristal da PETase. Essa máquina utiliza intensos feixes de raios-x que contém bilhões de fótons a mais do que os raios-x que vêm do Sol, permitindo que os pesquisadores vejam a estrutura dos átomos individuais em três dimensões.


Representação 3D da enzima PETase. Ilustração.: H. P. Austin et al., 2018.

Para visualizar virtualmente como essa enzima interage com o plástico, os pesquisadores modelaram a estrutura 3D recém derivada em um computador. Eles conseguiram ver que a PETase era visualmente similar a uma enzima chamada cutinase, que é encontrada em fungos que infectam plantas. Mas ela tinha diferenças importantes, incluindo uma área exposta ativa que se liga bem com os plásticos.

Para testar a teoria da que a PETase evoluiu em um ambiente rico com PETs, os pesquisadores causaram uma mutação no local ativo da PETase para torná-la mais parecida com a cutinase. E foi aí que os pesquisadores encontraram uma enzima que fazia o trabalho de degradação do plástico ainda mais eficiente.

Além de conseguir degradar PETs, os pesquisadores confirmaram que a enzima mutante era capaz de digerir furandicarboxilato de polietileno (PEF), um substituto biológico para os plásticos PETs que um dia podem substituir algumas garrafas de cerveja.

Os pesquisadores agora continuarão o trabalho para ver se a enzima pode ser produzida em escala industrial e digerir o plástico ainda mais rápido. Os cientistas esperam que um sistema de reciclagem circular possa ser desenvolvido, onde o plástico possa ser reconstituído, aliviando a carga de produção de plástico e extração de petróleo.

“Acho esse trabalho muito animador”, disse Oliver Jones, químico da Universidade RMIT, que não estava envolvido no estudo. “Enzimas são não-tóxicas, biodegradáveis e podem ser produzidas em grandes quantidades por microorganismos (bactérias e fungos). Embora muitas pessoas não saibam, as enzimas já nos ajudam em muitas áreas do dia-a-dia e estão presentes em detergentes para roupas, na comida, couro e nas indústrias têxteis”.

Pode demorar um pouco até vermos essa enzima mutante usada em escala industrial, mas certamente estamos caminhando para que isso aconteça.

[Proceedings of the National Academy of Sciences]

Imagem do topo: David Jones

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…