Pular para o conteúdo principal

Arqueólogos encontraram um dado de 600 anos com lados falsos na Noruega



Por: George Dvorsky

Dados de seis lados podem possuir mais de 5 mil anos e sua origem vem da Persia, assim, a descoberta de um dado de 600 anos na Noruega não é nada especial. Mas este dado recém descoberto – com a evidente ausência dos lados de número um e dois – é bem única, apontando para algumas falcatruas presentes na era medieval.

O dado trapaceiro foi descoberto em uma escavação em Bergen, na Noruega, por arqueólogos do Norwegian Institute for Cultural Heritage Research (Instituto Norueguês para a Pesquisa de Cultura Hereditária, em tradução livre; NIKU, na sigla em inglês). Os pesquisadores atualmente escavam as ruínas de uma rua de madeira do distrito medieval de Vågsbunnen do século XV. Naquele período, esta era uma área densamente povoada, repleta de pubs e pousadas. É bem possível que jogos – particularmente aqueles que envolviam apostas – eram jogados ali.


Créditos: Angela Weigand, UiB

Os arqueólogos em Bergen encontraram mais de 30 dados da Idade Média. Fica claro que o uso do item em jogos era popular. Neste caso, no entanto, parece que alguém decidiu melhorar as próprias chances na jogatina, já que esta relíquia não possui o lado de número um e o lado de número dois. No lugar destes, o dado contém um número quatro e um número cinco a mais. O gerente de projeto Per Christian Underhaug suspeita que a relíquia, baseada no contexto em que foi encontrada, foi perdida ou deliberadamente jogada fora.

De acordo com Ingrid Rekkavik, arqueóloga do NIKU, o dado foi provavelmente usado em Passe-diz (também conhecido como Passage, em inglês), um jogo de aposta antigo e de fácil entendimento. Nele, dois jogadores, cada um com três dados, os joga para somar pelo menos dez pontos. O jogador com uma pontuação menor que dez perde. A média de cada jogada é de 10,5 pontos, mas com o dado trapaceiro esta média sobe para 11,5.

Jogos de azar eram tão disseminados na Noruega durante a Idade Média que as autoridades a tornaram ilegal. Uma lei aprovada em 1276 autorizou o rei Ombudsmen a confiscar dinheiro em mesas de aposta e cobrar multas de meio marco de cada jogador, equivalente a 107 gramas de prata. Apesar da aplicação da lei, ainda existe uma boa razão para suspeitar que os jogos de azar continuaram populares na Noruega nos anos seguintes, de acordo com os pesquisadores.


Representação de um jogo de dados medieval. (Ilustração: “Olav the Sacred Saga,” 1899, National Museum)

“É entusiasmante imaginar o último jogo deste dado – teria sido revelado o trapaceiro? Se sim, quais foram as reações dos participantes?”, perguntou Rekkavik em um comunicado. “Era este um animado grupo de amigos em que tal violação seria humoristicamente compensada ou seria este um violente conflito de zangados apostadores? O que aconteceu com o dado? Teria ele sido jogado pelo nervoso trapaceiro correndo para se livrar da evidência? Ou teria ele sido jogado por um oponente, onde ele ficou para ser encontrado 600 anos depois?”

Infelizmente, provavelmente nunca saberemos, mas gosto de imaginar que este inescrupuloso jogador estava sendo socado na cara.

[Norsk institutt for kulturminneforskning via LiveScience]

Imagem de topo: Angela Weigand, UiB

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…