Pular para o conteúdo principal

Tempestades de metano esculpem a superfície da maior lua de Saturno



Por: George Dvorsky

Se você sobrevoar a superfície da maior lua de Saturno, Titã, verá montanhas, rios, lagos e mares, mas você também poderá dar de cara com uma tremenda tempestade. Clima severo não é comum em Titã, mas uma nova pesquisa sugere que, quando o tempo fecha, torrentes de metano líquido são despejados dos céus, causando enchentes e escavando a superfície de gelo da lua.

Titã é a maior das 60 luas de Saturno, cujo tamanho se iguala ao de Mercúrio. Um visitante da Terra reconheceria muitas caracteristicas, incluindo a atmosfera, vulcões, montanhas e dunas de areia. E, assim como a Terra, Titã também tem líquido de fluxo livre em sua superfície, manifestados em rios, lagos e mares. Uma nova pesquisa publicada na Nature Geoscience identifica algumas similaridades que não conhecíamos antes, como padrões climáticos regionais e temporadas de tempestades severas.


Um leque aluvial visto na China. Características similares foram descobertas em Titã, sugerindo a presença de tempestades. (Imagem: NASA)

Que chove metano líquido em Titã nós já sabíamos. Mas Jonathan Mitchell e Sean Faulk, pesquisadores da UCLA que produziram o novo estudo, descobriram que essas tempestades acontecem cerca de uma vez a cada mil anos — são chamadas de “eventos milenares”. Estas tempestades ocorrem uma vez a cada ano Titã, equivalente a 29,5 anos terrestres. Elas são raras, mas não tão raras como anteriormente se acreditava.

Não há nada sutil nessas tempestades, no entanto. Os modeladores climáticos produzidos por Mitchell e Faulk mostram 300 mm de chuva por dia, um valor comparável às chuvas do Furacão Harvey, que bateram recordes.

O principal ponto desta descoberta vem na forma de leque aluvial. Quando a tempestade cai, as intensas chuvas inundam a superfície de gelo da lua da mesma forma que fortes tempestades inundam a superfície rochosa da Terra. O grande fluxo de metano líquido percorre as montanhas, colinas, e as paredes de cânions, coletando e despejando pedaços de areia e sedimentos. Este processo de erosão produz o característico formato triangular dos leques aluviais, que também são encontrados na Terra e em Marte.

Esta imagem da superfície de Titã, capturada pela sonda Huygens, é a única imagem da superfície de um corpo mais distantes que Marte. (Imagem: Nasa/Huygens).

Estas observações foram possíveis graças a saudosa sonda Cassini, que usou o seu radar para detectar os leques aluviais. Conforme apontado pelo estudo, estas características da superfície são primariamente localizadas próximos ao centros dos hemisférios norte e sul, mas mais próximos aos pólos do que aos equadores. Estas variações sugerem, assim como na Terra, que os padrões de precipitação da lua são específicos para cada região; as intensas tempestades são formadas em latitudes mais altas e molhadas, enquanto as condições mais secas persistem nas mais baixas. A Terra possui contrastes similares, com tempestades e nevascas mais comumente presentes na América do Norte e Europa durante o inverno.

As pesadas chuvas e consequentes escoamentos são atores importantes na erosão da superfície e no preenchimento de lagos. Enquanto isso, nas areas onde a chuva é pouca ou até inexistente, a superfície é coberta com dunas de areia. Pesquisas anteriores mostraram que metano liquido tende a ser coletado em latidudes mais altas, mas este é o primeiro estudo a apontar que eventos de tempestades extremas podem desencadear enormes transportes de sedimentos e erosão.

Sobretudo, os cientistas da UCLA não observaram de fato tempestades em Titã. E o motivo é parcialmente devido a duração de um ano Titã; a Cassini pode apenas observar a lua por três estações. As estimativas usadas no estudo foram calculadas por computadores, que simularam o ciclo hidraulico da lua. Com sorte, futuras missões a Titã vão efetivamente capturar estas tempestades em ação.

[Nature Geoscience]

Imagem de topo: A maior lua de Saturno, Titã. É com isso que ela se parecia caso sua grossa e gasosa atmosfera fosse removida. (Imagem: NASA/Cassini)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…