Pular para o conteúdo principal

Os astronautas vão encher o espaço sideral com todo tipo de fungos esquisitos



Os humanos vão deixar o espaço sideral mais sujo. A NASA coloca muito esforço em manter o espaço limpo. O Office of Planetary Protection, por exemplo, existe para proteger a Terra de potencial vida de outros planetas, mas eles também têm que proteger os outros planetas de nós. Então, é importante saber exatamente como impactamos os ambientes que invadimos.

Uma equipe de pesquisadores da NASA está tentando recriar o meio ambiente na estação espacial para ver exatamente como os humanos impactam quais microrganismos colonizam habitats espaciais. Em sua pesquisa mais recente, eles mediram como alguns tipos de fungos mudaram à medida que os seres humanos viviam em um habitat inflável. Apesar de serem apenas quatro habitantes humanos, ficou claro que a mera presença de pessoas mudou os tipos de espécies que se instalaram. Isso será especialmente importante para saber quando as pessoas realmente viverem nesses habitats no espaço.

“Carregamos mais micróbios do que células humanas”, afirmou o autor do estudo Dr. Kasthuri Venkateswaran, do Grupo de Proteção Planetária no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, ao Gizmodo. “Precisamos nos preocupar com o que está sendo transportado para outros lugares.”

Os quatro “astronautas” se acomodaram em um habitat de 12 por 10 por 2,5 metros, contendo cozinha, laboratório, banheiro e quarto. As missões lá dentro duram até 30 dias, durante as quais as únicas coisas trazidas do mundo exterior foram os seres humanos e ar filtrado. Foram coletadas amostras de fungos em cada um dos quartos em quatro momentos separados durante uma missão de 30 dias e quatro pessoas: nos dias 0, 13, 20 e 30.

Os resultados das amostras tiveram nuances: existiam menos fungos em geral ao fim da missão, mas houve um aumento de certos tipos, especialmente dos gêneros Epiccocum, Alternaria, Pleosporales, Davidiella e Cryptococcus. Os pesquisadores publicaram seus resultados nesta segunda-feira, no periódico Microbiome.

Esse estudo apenas rastreia mudanças causadas por quatro pessoas diferentes, então certamente é uma amostragem pequena. Mas os resultados validam o trabalho anterior dos pesquisadores. Eles fizeram estudos similares sobre diversidade bacteriana, e ficou claro que o ambiente bacterial desses habitats fechados fica com o gosto das pequenas espécies que os humanos trazem consigo. E os pesquisadores vão fazer estudos posteriores em outros habitats por períodos mais longos, disse Venkateswaran.

Mas essas descobertas iniciais são importantes, disse ele. Os cientistas precisam entender as mudanças no ambiente microbiano para garantir que ele seja seguro para o sistema imunológico dos astronautas. Eles certamente nunca viverão em ambientes estéreis, e a NASA está preocupada com o fato de os micróbios se tornarem mais patogênicos no espaço. Neste caso, Alternaria pode potencialmente ser prejudicial aos humanos. Venkateswaran disse ao Gizmodo: “Precisamos desenvolver estratégias para medir os fungos patogênicos e problemáticos”.

[Microbiome]

Imagem do topo: Blachowicz et al, Microbiome (2017)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…