Pular para o conteúdo principal

Cientistas codificam GIF animado em DNA



O que é uma fita de DNA senão dados? Com frequência pensamos em suas unidades, os As, Cs, Ts e Gs, como letras de palavras em um manual de instruções. Mas e se, em vez disso, pensássemos nelas como bits computacionais biológicos, guardando a menor unidade de informação? O que impede os cientistas de aproveitar o poder dessas unidades, usando a tecnologia biológica mais recente para tratar o DNA como um disco de gravação?

Uma equipe de biólogos tirou vantagem do mecanismo de defesa bacteriana na qual o sistema de edição genética CRISPR se baseia para gravar um GIF animado, pixel por pixel, em uma população de bactérias. Mas o objetivo final não é criar DVDs biológicos. Em vez disso, eles esperam um dia usam essa tecnologia como um tipo de gravador biológico para manter o registro das células ou das mudanças em seu ambiente.

“Utilizamos imagens em filmes para mostrar o poder do sistema que queremos usar para capturar todos os tipos de atividade biológica no DNA”, disse o autor principal do estudo, Seth Shipman, da Harvard Medical School, ao Gizmodo. “A ideia é criar gravadores moleculares que funcionam nas células para capturar coisas nela ou em seu ambiente […] para que o experimentador não precise invadir e perturbar o sistema para coletar dados”.

Bactérias já utilizam as proteínas “Cas” associadas ao CRISPR para pegar pedaços de DNA de vírus e inserir em seus genomas como um mecanismo de defesa contra futuros ataques. Os pesquisadores tiraram vantagem do fato de que as proteínas sempre inserem novos materiais genéticos contra o material genético antigo. “Você acaba literalmente com registro físico de quais sequências foram colocadas lá e em qual ordem”, disse Shipman. “A informação do tempo efetivo é feita na ordem das sequências do genoma à medida que você o lê”. Então, eles fizeram filmes para mostrar o DNA como um “excelente meio para arquivar dados”, de acordo com o artigo publicado na revista Nature.

Os pesquisadores primeiro testaram o armazenamento de uma imagem de uma mão utilizando o DNA para converter informações de cores e pixels em conjuntos de pares de bases, aqueles As, Ts, Cs e Gs. Esse é, praticamente, o jeito que os genes codificam proteínas no DNA, mas nesse DNA customizado que eles fizeram, as sequências A, C, T, G correspondem a códigos de barras que determinam quais pixels devem ir em determinadas cores. Então, eles introduziram a sequência customizada em uma população de bactérias E. coli, criando poros temporários nas membranas das células com pulsos elétricos. Os dados traduzidos entram na bactéria, que os integra em seu genoma utilizando proteínas Cas. O time então cultiva a população de bactérias, e então as sequencia, lendo o DNA, e as traduz, recriando a imagem.

Codificar um GIF dentro da bactéria foi um processo mais complicado – muito embora a bactéria armazene os dados em ordem cronológica, a informação do GIF fica espalha entre muitas células. Os pesquisadores podem recuperar apenas a informação da ordem dos quadros de células únicas, de acordo com o artigo. Isso significa que recriar o filme exigia comparar o DNA de muitas células diferentes. Aqui está o GIF antes da inserção na bactéria e depois da reconstrução.


Imagem: Seth Shipman

Existem limitações que surgem quando você trabalha com um sistema vivo de armazenamento de dados, conta Shipman. Os cientistas estão tentando colocar muita informação nessas células, o que pode levar a pixels inoperantes ou erros – eles conseguiram reproduzir o GIF com 90% de precisão. Além disso, dado os métodos, quanto mais células eles liam novamente, mais preciso ficava o GIF; eles precisaram encontrar um ponto razoável para parar. Aqui um exemplo de como a reconstrução manual ficou melhor com o tempo:


Imagem: Seth Shipman

Outros pesquisadores com quem conversei acharam a pesquisa interessante. “Os métodos descritos não são tão novos, mas é uma aplicação superlegal”, disse o pesquisador Christopher Voigt do MIT ao Gizmodo, em um email. Recentemente ele desenvolveu uma bactéria capaz de fazer imagens coloridas. “Aqui, os autores utilizam síntese de DNA de baixo custo e ferramentas de edição genética para colocar a informação de imagens e filmes no genoma de uma célula viva. Todas as vezes que a célula se replica, uma nova cópia é feita. Um novo jeito de piratear material!”

Shipman espera utilizar esse método em aplicações biológicas – por exemplo, utilizando uma bactéria para detectar metais pesados no ambiente, e manter um registro de DNA desses contaminantes com o passar do tempo.

Imagem do topo: Seth Shipman

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…