Pular para o conteúdo principal

Reconstruções faciais bizarramente precisas estão dando destaque aos mortos menos ilustres


Morava em Dublin há cerca de 500 anos. Reconstruções incrivelmente precisas como essa estão fornecendo aos arqueólogos uma nova maneira de estudar o passado, ao mesmo tempo em que permitem visualizar algumas das figuras mais esquecidas da história.

Conhecido apenas como SK2, os restos deste homem foram encontrados em 2014 por arqueólogos da Rubicon Heritage and Transport Infrastructure Ireland. Ele foi um dos cinco esqueletos tirados de uma construção perto da entrada do Trinity College, em Dublin, na Irlanda. A princípio, os arqueólogos achavam que os restos eram de vikings ou nórdicos, mas uma análise mais aprofundada sugere que os esqueletos datam da época da reconquista da Irlanda pelos Tudor, período que decorreu de 1485 a 1603.


Restos encontrados em College Green, em Dublin, na Irlanda (Imagem: Rubicon Heritage Services Ltd.)

A caveira de SK2 estava em ótimas condições, instigando uma reconstrução facial em três dimensões. O trabalho foi feito por Caroline Wilkinson e sua equipe do Face Lab, na Universidade Liverpool John Moores. Esse é o mesmo time que fez as reconstruções faciais de Ricardo III, Roberto I da Escócia e diversas outras figuras históricas. Mas diferentemente desses figurões históricos, SK2 era um ninguém, um indivíduo que veio da base do espectro socioeconômico.

Realmente, essa última reconstrução facial, como a feita de um homem comum que viveu na Inglaterra 700 anos atrás, está fornecendo aos arqueólogos um novo jeito de estudar uma parte da população que raramente é mencionada em documentos históricos ou na arte, os muito pobres. Geralmente, só os ricos e famosos são lembrados.

Para construir o rosto do SK2, a equipe de Wilkinson primeiro fez um escaneamento 3D do crânio, que deu a base para a reconstrução. Usando pontos de marcação bem estabelecidos pela ciência forense e um software especializado, os pesquisadores conseguiram estabelecer os principais componentes faciais, os músculos faciais, os tecidos moles e a pele. O resto foi chute, mas um chute embasado.

Análises esqueléticas sugerem que o homem tinha entre 25 e 35 anos de idade quando morreu. Ele media 1,67 m, sofria de desnutrição infantil e desempenhou trabalho manual pesado durante a sua vida. Análises isotópicas de seus dentes indicam que ele veio de Dublin, onde foi enterrado. Seus restos, junto com o de quatro adolescentes, foram localizados em um lugar que costumava ser chamado de Hoggen Green, uma área aberta que era controlada pelo governo de Dublin. Suas covas eram rasas, e nenhum dos corpos foi colocado em um caixão.


Imagem: FaceLab/Liverpool John Moores University/Lusacrosscity

Baseado nessas descobertas e em ilustrações do povo irlandês do século XVI, o time de Wilkinson ajustou o rosto de SK2. Eles colocaram longos cabelos e barba nele, feições tipicamente irlandesas como pele clara, olhos azuis e cabelo castanho. Deram-no roupas simples para combinar com seu status social.

Essa pode não ser uma representação perfeita de SK2, mas a perfeição não é o objetivo. Ao juntar todas as provas científicas e históricas, e ao usar tecnologia de ponta, os pesquisadores fizeram algo que, até recentemente, nunca tínhamos visto antes: criar uma impressão quase fotográfica de uma pessoa comum que viveu séculos atrás.

[Rubicon Heritage]

Imagem do topo: FaceLab/Liverpool John Moores University/Lusacrosscity

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…