Pular para o conteúdo principal

Explosões nucleares da Guerra Fria impactaram tremendamente o clima espacial



A Guerra Fria entre Estados Unidos e União Soviética durou cerca de 45 anos. Embora nenhuma das superpotências tenha usado as bombas no solo da outra, os testes de bombas em grandes altitudes causaram uma perturbação na atmosfera da Terra. Apesar de o conflito ter acabado há muito tempo, informações recentemente tornadas públicas sugerem que ele possa ter impactado o clima espacial de maneiras nunca antes esperadas.

De acordo com um novo estudo publicado na Space Science Reviews, os testes nucleares em grandes altitudes conduzidos tanto por União Soviética quanto Estados Unidos criaram “cinturões de radiação artificial” próximos à Terra. Nosso planeta é naturalmente cercado por cinturões de radiação Van Allen — zonas de partículas altamente carregadas. Mas a energia de explosões nucleares criou regiões quentes e eletricamente carregadas dentro da atmosfera, que induziram perturbações geomagnéticas e até mesmo produziram cinturões de radiação próprios. Como você pode imaginar, os resultados não foram tão ótimos — de acordo com os autores do estudo, isso resultou em “danos enormes a vários satélites” que orbitavam a Terra em uma altitude relativamente alta.

A radiação e as partículas de alta energia do Sol frequentemente interagem com o campo geomagnético da Terra, em um fenômeno conhecido como clima espacial. Quando partículas de alta energia suficientes caem sobre a magnetosfera, ela pode danificar severamente satélites de comunicação e até redes de energia elétrica na Terra. Mas a radiação de explosões nucleares na década de 1960 é um exemplo extremo de como os humanos podem também ferrar com o nosso campo geomagnético, o que é interessante de se saber, mas também aterrorizante.

Sério, quem imaginaria que missões com nomes como Argus, Teak e Starfish teriam esse tipo de impacto? A radiação liberada da Argus sozinha causou uma agitação de tempestades geomagnéticas sobre a Suécia e o estado do Arizona, de acordo com esse novo estudo.

“Os testes foram um exemplo extremo, gerado por humanos, de alguns dos efeitos no clima espacial frequentemente causados pelo Sol”, o coautor do estudo Phil Erickson, diretor-assistente do Observatório Haystack, do MIT, contou à NASA. “Se entendermos o que aconteceu em um evento de certa forma controlado e extremo que foi causado por um desses eventos feitos pelo homem, podemos entender mais facilmente a variação natural no ambiente espacial próximo.”

Entendendo como as perturbações geomagnéticas causadas por humanos impactam nossa atmosfera, as agências espaciais esperam entender melhor como proteger astronautas dos impactos do clima espacial na Órbita Terrestre Baixa também. Talvez estudar o clima espacial artificial possa até mesmo jogar alguma luz sobre como uma futura tempestade solar monstruosa vai impactar nossas redes elétricas e nossa tecnologia.

Além disso, com alguma sorte, talvez consigamos dar uma diminuída nas bombas nucleares aqui embaixo, na superfície terrestre.



FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…