Pular para o conteúdo principal

NASA inaugura institutos para criar tecnologias para colônias espaciais


Materiais e estruturas de alto desempenho são necessários para construir sistemas de exploração seguros, como veículos, habitats e sistemas de energia.[Imagem: NASA]

Colonização do espaço

A NASA criou dois institutos de pesquisas que deverão se concentrar no "desenvolvimento de tecnologias críticas para ampliar a presença humana profundamente no interior do nosso Sistema Solar".

Os institutos reúnem pesquisadores de universidades e outras organizações, formando equipes multidisciplinares e multi-institucionais.

O grande objetivo é criar capacidades de missões espaciais autossustentáveis, que possam se manter de forma independente no espaço, sem depender do envio de recursos da Terra - em uma palavra, colônias terrestres em outros planetas ou luas.

De acordo com Steve Jurczyk, que anunciou o projeto, os institutos deverão "promover a síntese de ciência, engenharia e outras disciplinas para atingir objetivos de pesquisa específicos com resultados confiáveis esperados para os próximos cinco anos."

Veja abaixo as características e resultados esperados dos dois novos institutos.

Centro de Utilização da Engenharia Biológica no Espaço

O CUBES (Center for the Utilization of Biological Engineering in Space) deverá ajudar a mudar o foco da NASA das missões em órbita baixa, como a Estação Espacial Internacional, para o que a agência chama de "espaço profundo".

Para isso deverão ser desenvolvidas tecnologias - sobretudo biotecnologias - que permitam que os astronautas e exploradores fabriquem todos os produtos de que necessitem, em vez de depender da prática atual de missões de reabastecimento da Terra.

As áreas de pesquisa incluirão sistemas de biofabricação integrados, multifuncionais e multi-organismos para produzir combustível, materiais, produtos farmacêuticos e alimentos.

A possibilidade de uso das tecnologias na Terra também deverá ser levada em conta.

O Instituto CUBES será liderado por Adam Arkin, da Universidade da Califórnia em Berkeley, em parceria com as universidades Estadual de Utah, Califórnia em Davis, Stanford, e os parceiros industriais Autodesk e Physical Sciences Inc.


Técnicas avançadas de engenharia biológica estão surgindo rapidamente, o que pode levar a abordagens inovadoras para técnicas de fabricação biológica usando micróbios e plantas, fornecendo os meios para criar tecnologias sustentáveis tanto para futuras aplicações espaciais quanto para aplicações terrestres. [Imagem: NASA]

Instituto de Compósitos Ultrafortes por Projeto Computacional

O US-COMP (Institute for Ultra-Strong Composites by Computational Design) deverá usar ferramentas computacionais e simuladores para criar uma nova geração de materiais adequados para a construção de veículos, habitações, sistemas de fornecimento de energia e outros sistemas de exploração, todos voltados para uso no espaço.

A exigência básica é que os novos materiais deverão ser mais leves e mais fortes do que qualquer um usado atualmente mesmo nos sistemas mais avançados.

Um dos objetivos específicos é desenvolver e testar, em no máximo cinco anos, um material estrutural leve e de ultra-alta resistência, feito a partir de nanotubos de carbono.

O instituto US-COMP será coordenado por Gregory Odegard, da Universidade Tecnológica de Michigan, com pesquisadores de 22 instituições. Os parceiros industriais incluem a Nanocomp Technologies e a Solvay.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…