Pular para o conteúdo principal

Rússia pretende testar míssil nuclear em asteroide


A Rússia planeja modificar seus mísseis intercontinentais para interver contra meteoros (Raytheon)

E se um meteoro estiver em rota de colisão com a Terra, quem poderá nos defender? Aparentemente, o principal candidato é a Rússia. Cientistas da Agência Especial Federal Russa confirmaram a pretensão de disparar armas nucleares contra o asteroide Apophis, que passará perto de nosso planeta em 2036.

O projeto é um pedido da comunidade científica internacional NEOShield, que trabalha no desenvolvimento de sistemas de “deflexão de asteroides”.

O uso de armas nucleares é uma das várias ideias propostas pelo grupo, que também atua no desenvolvimento de “tratores gravitacionais” (capazes de atrair um meteoro para outro caminho) e “projéteis cinéticos” (propostos para empurrar o objeto para outra rota a partir de uma colisão).

Como explica a agência de notícia estatal russa TASS, armas nucleares podem destruir um meteoro ou a explosão atômica pode servir como um “empurrão” para alterar sua rota, seguindo o mesmo conceito do projétil cinético (mas com efeito “pirotécnico” nuclear). E parte da “arma” já está pronta, e há muito tempo.

O plano dos cientistas russos é ajustar seus atuais mísseis balísticos intercontinentais (ICBM, na sigla em inglês), para atingir objetos próximos à Terra. De acordo com o relatório, os ICBM podem ser usados com eficiência contra meteoros com 20 metros a 50 m de diâmetro. O Apophis, classificado como asteroide, é bem maior: tem 350 m de circunferência.

Sabit Saitgarayev, chefe de pesquisas do Makeyev Rocket Design Bureau, que desenvolve os foguetes do programa espacial russo, afirmou à agência que mísseis balísticos podem impedir a aproximação de meteoros detectados há poucas horas. Mas para isso é preciso atualizá-los.


Os mísseis intercontinentais utilizam foguetes alimentados por combustível sólido (USAF)

Os ICBM, armas desenvolvidas durante a Guerra Fria na década de 1960, são impulsionados por foguetes alimentados por combustível sólido. “O abastecimento começa 10 dias antes do lançamento e, portanto, são impróprios para destruir meteoritos semelhantes ao Chelyabinsk (que caiu na Rússia em 2013)”, explicou Saitgarayev.

O pesquisador russo ainda acrescentou que modificar os ICBMs vai exigir vários milhões de dólares e a permissão das autoridades: explosões nucleares são proibidas no espaço. “No entanto, se existir a ameaça de um asteroide que possa causar enormes danos ou mesmo acabar com a vida na Terra, essas proibições, é claro, serão descartadas”, contou.

Saitgarayev acredita que o asteroide Apophis vai passar “perigosamente” perto da Terra em 2036, hipótese já descartada pela NASA. O astro foi descoberto em 2004 e no início houve certa preocupação, que foi diminuindo com o avanço de mais observações.


O alvo: o meteoro Apophis tem 350 metros de diâmetro e uma chance em 45.000 de atingir a Terra (Nasa)

Serpente espacial

O asteroide Apophis está na classe 0 na “Escala de Turim”, método que categoriza o risco de objetos próximo à Terra. Segundo a tabela, o astro tem uma chance em 45.000 de atingir o planeta. A Nasa estima que o asteroide deve passar a uma distância que pode variar de 1 milhão de km a 12 milhões de km da superfície terrestre.

A pretensão da Rússia, porém, pode frustrar uma série de projetos espaciais de outros países, que planejam enviar sondas ao espaço para analisar o asteroide de perto durante sua aproximação ou até alcançar sua superfície.

“Apophis” é o nome grego do inimigo de Rá (deus do Egito Antigo), Apep, uma serpente que se esconde nas escuridões eternas do centro da Terra e tenta engolir o deus egípcio durante suas caminhadas noturnas. Será que ele resiste a uma explosão nuclear?

FONTE: http://airway.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…