Pular para o conteúdo principal

Rumo a Europa, lua-oceano de Júpiter


Concepção artística de plumas de água emanando de Europa, lua de Júpiter (Crédito: Nasa)

POR SALVADOR NOGUEIRA
27/05/15 05:55

A Nasa acaba de anunciar os nove instrumentos que devem voar na espaçonave destinada a explorar Europa, a lua oceânica de Júpiter com maior potencial para abrigar vida.

Vista de longe, ela é apenas uma bola de gelo — nada mais que um pequeno ponto de luz, observado pela primeira vez por Galileu Galilei em 1610. Contudo, os sobrevoos realizados pelas Voyagers, em 1979 e 1980, e mais tarde pela sonda Galileo, nos anos 1990, revelaram a presença de um oceano global de água líquida sob a superfície congelada, além de muitos mistérios intrigantes.

O segredo para a persistência de água em estado líquido é o poderoso efeito de maré exercido pelo planeta gigante, conforme a lua gira em torno dele.

“Em Europa, esse oceano deve ter existido por bilhões de anos”, disse John Grunsfeld, vice-administrador científico da Nasa. “Estou muito empolgado.”

A maioria dos cientistas acredita que foi num ambiente muito parecido com o que existe em Europa, em fontes hidrotermais no leito oceânico, que a vida surgiu na Terra. “Caso encontremos indicações de seres vivos em Europa, é um sinal de que há vida em toda parte na galáxia”, afirma Jim Green, diretor de ciência planetária da agência espacial americana.

CRONOGRAMA
A missão deve partir no início da próxima década — o ano exato ainda não foi especificado, assim como o tempo de viagem até Júpiter, que depende do veículo lançador e da trajetória escolhidos para a viagem. Não há orçamento fechado, mas estima-se um custo de US$ 2 bilhões, sem contar o preço do lançamento.

Após entrar em órbita do planeta gigante, a sonda deve realizar 45 sobrevoos de Europa, ao longo de dois anos e meio. Com isso, fará um mapeamento detalhado de cerca de 90% da superfície, com resolução capaz de identificar estruturas de 50 metros. E, em locais específicos, a resolução será ainda maior — espera-se que alguns sobrevoos atinjam uma distância de meros 25 km da superfície.

E pensar que as belas imagens da Galileo representam meros 10% do solo europano a uma resolução de 200 metros. Será uma revolução na compreensão desse intrigante mundo.

SUPERFÍCIE E OCEANO
A quase completa ausência de crateras em Europa indica que a superfície da lua joviana — que tem mais ou menos o tamanho da nossa — está constantemente se renovando. Isso sugere que há intercâmbio de materiais entre o oceano e o solo.

Um dos maiores mistérios de Europa, aliás, é o material marrom que se distribui ao longo de fissuras na superfície. O que pode ser? Recentemente, um estudo sugeriu que poderia ser o sal do oceano, reagindo com o ambiente de radiação que incide sobre o solo. Mas as respostas definitivas só virão com a nova missão.

Outro fenômeno a ser investigado pela nova sonda é a presença de plumas de água sendo ejetadas da superfície de Europa — possivelmente fornecendo acesso direto ao conteúdo do oceano no subsolo. O Telescópio Espacial Hubble chegou a detectar evidência de plumas, mas uma única vez até agora.

HABITABILIDADE
Segundo Curt Niebur, cientista do programa de Europa no Quartel-General da Nasa, o objetivo principal da missão é caracterizar o ambiente da lua e identificá-lo como habitável, ou seja, capaz de permitir a existência de vida. Cinco perguntas deverão ser respondidas:

– Quão profundo e salgado é o oceano?
– Quão espessa é a crosta de gelo?
– Quão ativa é a crosta de gelo?
– O que é o material marrom na superfície?
– Onde estão as plumas e o que há nelas?

A agência espacial recebeu 33 propostas de instrumentos e selecionou 9 delas para a missão. Confira a lista:

PIMS – Instrumento de Plasma e Sondagem Magnética – Ele analisará o ambiente de Europa, determinando a espessura da cobertura de gelo, a profundidade do oceano e seu grau de salinidade.

ICEMAG – Caracterizaçãodo Interior de Europa usando Magnetometria – Um magnetômetro que trabalhará em parceria com o PIMS para produzir uma virtual “ressonância magnética” da lua, permitindo inferir sua estrutura sob o solo.

MISE – Espectromêtro de Mapeamento de Imagens para Europa – Ele colherá assinaturas de luz emanadas da superfície a fim de determinar a composição do solo, identificando compostos orgânicos, sais e ácidos.

EIS – Sistema de Imageamento de Europa – Duas câmeras que farão o mapeamento quase completo da lua — cerca de 90% com resolução de 50 metros, e algumas regiões com 100 vezes mais detalhes (50 cm).

REASON – Radar para Estudo e Sondagem de Europa: Oceano até perto da Superfície — Um radar designado para caracterizar a crosta gelada europana, revelando possíveis lagos liquefeitos que estejam mais próximos da superfície, ou regiões em que a crosta é mais fina.

E-THEMIS – Sistema de Imageamento de Emissão Térmica de Europa — É basicamente um detector de calor com alta resolução, que permitirá identificar sítios ativos na superfície, como potenciais fontes de plumas.

MASPEX – Espectrômetro de Massa para Exploração Planetária/Europa – Esse instrumento permitirá colher amostras tênues da superfície e do oceano de Europa que tenham sido ejetadas para o espaço, determinando sua composição com precisão.

UVS – Espectrógrafo Ultravioleta/Europa – É um detector de plumas, que usará a mesma técnica aplicada pelo Hubble, mas com a vantagem de estar lá, a fim de decifrar o enigma das emissões europanas.

SUDA – Analisador de Massa de Poeira Superficial – Ele analisará a composição de pequenas partículas sólidas ejetadas de Europa.

Esse é o começo de mais uma empolgante aventura científica em busca de ambientes habitáveis e quiçá vida em outro lugar do Universo. O duro é esperar até a missão voar, na década de 2020.



FONTE: http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…