Pular para o conteúdo principal

A busca por esferas de Dyson com civilizações avançadas ficou ainda mais difícil



Há mais de 50 anos, o físico Freeman Dyson propôs uma ideia impressionante e ligeiramente maluca: uma civilização alienígena avançada poderia construir uma enorme esfera que coleta energia ao redor de sua estrela, e viver dentro dessa esfera.

Os cientistas nunca desistiram de estudar esferas de Dyson; eles até mesmo realizaram algumas buscas legítimas por suas emissões de calor infravermelho. Agora, os físicos İbrahim Semiz e Salim Oğur podem ter uma explicação para não conseguirmos encontrar essas megaestruturas: se esferas de Dyson existirem, elas provavelmente são muito menores do que pensávamos.

A ideia das esferas de Dyson provavelmente se tornou popular após aparecer no episódio “Relíquias” de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração. Nele, a tripulação da USS Enterprise-D se depara com uma esfera de Dyson completa, cujos sistemas automáticos puxam a nave para dentro.



Desde que Dyson propôs a ideia de enormes habitats espaciais pela primeira vez, os cientistas tentaram imaginar como estas estruturas poderiam funcionar fisicamente. De um modo geral, os pesquisadores se concentraram em esferas de Dyson encapsulando estrelas semelhantes ao Sol.

Mas este cenário traz alguns problemas enormes e talvez insuperáveis. Para começar, essa esfera teria de ser construída a uma distância de cerca de 1 UA, a mesma distância entre a Terra e o Sol. Isso significa que a estrutura seria absolutamente enorme, exigindo grandes volumes de material para a construção.

Além do mais, a superfície da esfera teria apenas níveis minúsculos de gravidade. Para viver nela, os humanos precisariam de uma grande modificação genética, ou algum sistema avançado de gravidade artificial, algo que não conseguimos criar nem mesmo na teoria.



Uma anã branca – o que sobra depois que uma estrela semelhante ao Sol incha e explode – pode ser a melhor opção para esferas de Dyson. A zona habitável de uma anã branca é muito mais próxima, de modo que a esfera seria significativamente menor.

Os pesquisadores calculam que uma esfera de um metro de espessura construída na zona habitável de uma anã branca exigiria 10^23 kg de matéria, um pouco menos do que a massa da nossa Lua. Uma esfera de Dyson cercando uma anã branca também teria gravidade parecida com a da Terra, de acordo com os cálculos dos pesquisadores.

Há apenas um problema: como anãs brancas são menos brilhantes do que estrelas semelhantes ao Sol, as emissões de calor infravermelho de uma esfera de Dyson numa anã branca seriam muito menores e mais difíceis de detectar.

Se alienígenas inteligentes existirem mesmo, pode demorar até que nossos equipamentos espaciais sejam poderosos o suficiente para encontrá-los a partir da Terra.

FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…