Pular para o conteúdo principal

O parto das estrelas


Imagem revela filamentos de gás prestes a acender como estrelas na região conhecida como Barnard 5, no berçário estelar de Perseu, a 800 anos-luz daqui. (Crédito: B. Saxton (NRAO/AUI/NSF))

POR SALVADOR NOGUEIRA
13/02/15 05:59

Um grupo internacional de astrônomos flagrou um grupo de estrelas em pleno trabalho de parto, e a descoberta ajuda a compreender como nascem os sistemas estelares múltiplos e como algumas estrelas acabam se tornando solitárias, a exemplo do Sol.

Os pesquisadores conseguiram identificar uma estrela recém-formada no berçário de Perseu, a cerca de 800 anos-luz da Terra. Perto dele, três nuvens de gás em forma de filamentos estão prestes a se tornar estrelas também, indicando a jovialidade do sistema. Para que se tenha uma ideia, o astro que já está formado deve ter menos de 10 mil anos, e os outros filamentos devem se condensar em estrelas irmãs em mais 40 mil anos.

É uma escala de tempo incomum em estudos astronômicos e evidencia o tamanho do “flagra” captado por Jaime Piñeda, da ETH Zurique, na Suíça, e seus colegas espalhados pela Europa e pelos Estados Unidos. Para tanto, eles usaram o Very Large Array, conjunto de radiotelescópios no Novo México (EUA) e o Telescópio James Clerk Maxwell, no Havaí.

Algumas coisas são notáveis sobre a descoberta, publicada ontem na revista “Nature”. A primeira é o fato de que ela nos ajuda a compreender em detalhe os processos pelos quais nuvens indistintas de gás se transformam em estrelas. De todos os modelos disponíveis para explicar o fenômeno, o que mais se encaixa nas observações é aquele que sugere que a formação estelar é produzida em meio a uma competição entre a gravidade (que tende a comprimir o material) e a pressão térmica (que tende a dissipar a nuvem). O padrão de fragmentação observado se encaixa como uma luva nesse esquema. “Claro, a descoberta de um sistema não exclui outros modos de formação binária”, escreve Kaitlin Kratter, astrofísica da Universidade do Arizona que não participou da pesquisa, num comentário publicado junto com o estudo.


Concepção artística do sistema hoje e quando ele estiver completamente formado (Credit: B. Saxton (NRAO/AUI/NSF))

A segunda coisa notável é que o espaçamento entre os objetos, entre mil e 10 mil vezes a distância entre a Terra e o Sol, sugere o futuro do quarteto. Aparentemente, a estrela já nascida e a que nascerá em breve e está mais perto dela formarão um par binário. Já as outras duas de início girarão em torno do par, mas numa escala de 500 mil anos acabarão escapando e tornar-se-ão estrelas solitárias.

Assim, o trabalho ajuda a esclarecer não só como se formam os sistemas estelares com mais de uma estrela — que representam mais da metade dos sistemas existentes na Via Láctea –, como também mostra como algumas estrelas acabam evoluindo para uma vida solitária, como aconteceu com o nosso Sol.

Em outras palavras, estamos vendo acontecer a 800 anos-luz de distância algo similar ao que deve ter ocorrido por aqui 4,6 bilhões de anos atrás, quando nossa estrela-mãe se formou e condensou seus planetas — dentre eles a Terra. E assim prossegue o ciclo cósmico. Estrelas nascem e morrem o tempo todo em nossa galáxia, e com isso nos dão a chance de compreender de onde viemos e para onde vamos.

FONTE: http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…